26 abril 2018

Visitando o Poltergeist

O moderno espiritualismo ganhou musculatura a partir dos fenômenos de Hydesville. Em fins de 1847, J. D. Fox, um fazendeiro metodista, mudou-se com a esposa e as duas filhas, Margareth (14 anos) e Catherine ou Kate (12 anos) para uma casa de madeira em Hydesville, no Estado de Nova Iorque. Segundo o depoimento da mãe, as batidas e pancadas davam-se à noite e persistiram por vários meses, barulhos esses que muitas vezes mantinham a família acordada a noite toda.

Eis um trecho do diálogo de 31/03/1848:

— “Senhor Pé-rachado, faça o que eu faço, batendo palmas”.
Imediatamente se ouviram pancadas, em número igual ao das palmas. A sra. Margareth, animada, disse, por sua vez:
— “Agora faça exatamente como eu. Conte um, dois, três, quatro.”
Logo se fizeram ouvir as pancadas correspondentes.
— “É um espírito?”, perguntou, em seguida. “Se for, dê duas batidas.”
A resposta, afirmativa, não se fez esperar.
— “Se for um espírito assassinado, dá duas batidas. Foi assassinado nesta casa?”
Duas pancadas estrepitosas se fizeram ouvir.
Hoje, em Lily Dale, no Estado de Nova lorque, a tosca cabana é admirada como relíquia histórica e uma placa assinala a data considerada a do nascimento do Novo Espiritualismo. (http://www.guia.heu.nom.br/hydesville.htm)

O que significa poltergeist? Qual sua origem? Poltergeist é uma palavra alemã formada de Geist (espírito) e poltein (ruidoso, chocalhante). Em 858, perto da cidade de Birgen, há relatos de quedas de pedras, ruídos altos e pancadas, os quais eram associados a fenômenos causados por espíritos. Acentuam ainda que esses fenômenos eram imunes ao exorcismo. O poltergeist caracteriza-se por destruição de pratos, quinquilharias e movimento de objetos na cozinha. Esses fenômenos são raros e de pouca duração. Por volta de dois meses.

Diferença entre assombração e poltergeist. O poltergeist ocorre na vizinhança de uma determinada pessoa, geralmente menino ou menina na adolescência. Assombração, crença de que o espírito de uma pessoa morta permaneça no seu habitat ou a ele retornou, não se relaciona diretamente com uma pessoa, mas com um determinado local, tal como, uma "casa mal-assombrada".

Fonte de Consulta

CAVENDISH, Ricardo (org.). Enciclopédia do Sobrenatural: Magia, Ocultismo, Esoterismo, Parapsicologia. Consultor especial sobre Parapsicologia Professor J. B. Rhine. Tradução de Alda Porto e Marcos Santarrita. Porto Alegre: L&PM, 1993.


Nenhum comentário: