29 junho 2008

Confia em Deus Primeiro

Todos estamos sujeitos aos soçobros do barco da vida no mar alto das grandes provações. Ninguém escapa deles. Acontece que nos momentos cruciais de nossos fracassos, de nossas crises, de nossos estresses queremos largar tudo e nos chafurdarmos nas bebidas, nos tóxicos e nos vícios em geral, desviando-nos do rumo traçado. Quando, porém, não tivermos mais saída, quando nossa vida parece caminhar para o abismo, eis aí que surge uma voz interior dizendo-nos: "Confia em Deus primeiro".

Envoltos numa doença grave, perdemos a alegria de viver e pensamos, inclusive, em dar fim à própria vida. Confia em Deus primeiro. Quem sabe Ele não está nos transmitindo um ensinamento, que sem a doença não saberíamos nem avaliar? Quem sabe se Deus não nos está preparando para coisas melhores? A doença, a dor e o sofrimento fazem-nos voltar para dentro de nós mesmos, coisa que nem pensaríamos se tudo estivesse correndo a mil maravilhas. Lembremo-nos de que o milagre é sempre o coroamento, mas nunca derrogação das Leis naturais, que funcionam igualmente, para todos nós. 

Profissionalmente, podemos ser relegados a um segundo plano. Este nos passa a perna, aquele outro se aproveita de nossa bondade, aquele outro ainda nos impõe severas formas de obediência. Mesmo nesses instantes de completa humilhação do nosso "eu" interior, confiemos em Deus primeiro. Quem sabe o que fizemos no passado? Será que não passamos por cima dos outros, atropelamos este e aquele para galgar postos de destaque na efemeridade da condição humana? Pascal já nos alertava que o "coração tem razões que a própria razão desconhece".

Pensar em Deus primeiro deve ser a nossa prece de cada dia, pois sem o beneplácito do Criador, os nossos empreendimentos, com certeza, não iriam fluir harmonicamente. Tudo está nas mãos de Deus. Nada escapa ao seu conhecimento. E Ele que tudo sabe, que tudo provê, não nos deixaria ao relento. Não é sem razão que Baruch Espinosa, filósofo, foi considerado o inebriado de Deus, porque acreditava que sem Deus não poderia fazer nada de significativo nesta vida.

Pensar em Deus primeiro é largar os atrativos do mundo material para se dedicar aos insondáveis mistérios do mundo espiritual, do verdadeiro mundo, do mundo em que a paz reina na sua maior amplitude. Nesse novo mundo, os seres humanos, banhados pelos ensinamentos de Jesus, praticarão a caridade na sua maior pureza, ou seja, renunciarão à própria personalidade para servir exclusivamente ao Cristo, no sentido de auxiliar todas as almas a encontrarem o caminho de sua salvação. 

Pensar em Deus primeiro é, pois, não guardar rancor de quem quer que seja. É ver tudo com olhos da alma. É viver intensamente o momento que passa, porque o tempo perdido não se recupera mais. 


Nenhum comentário: