03 julho 2008

A Semente e o Semeador

Jesus, quando esteve encarnado, deixou-nos o ensinamento evangélico contido na "Parábola do Semeador". Na sua exposição, salienta os quatro tipos de semente: a que caiu na beira da estrada, a que caiu entre os pedregulhos, a que caiu nos espinheiros e a que caiu em terra boa. Cada tipo de semente denota um tipo de estado espiritual do ser humano. Em outra oportunidade, fala que "A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória". É sobre esta frase que pretendemos fazer uma pequena reflexão.

A semente é sinônima de germe, ou seja, aquilo que dá origem a alguma coisa. De posse de uma semente qualquer, podemos antever a árvore e os seus frutos. O grão de mostarda, por exemplo, a menor das sementes, dá a maior das árvores. Podemos, também, fazer um raciocínio inverso, ou seja, olhando o fruto, podemos dizer como é a semente. Jesus sempre dizia que não é pela aparência, pela exuberância da árvore que se deve julgar a árvore, mas pelos seus frutos. Se os frutos forem bons, a árvore também o será.

Graças à germinação, a semente dá origem a uma nova planta. Após a maturação, toda a semente passa por um período de vida latente, durante o qual pode germinar, desde que existam condições de calor, umidade e iluminação. Em termos de germinação, cabe lembrar que o período de vida latente é bastante variável, pois há sementes que guardam o seu poder germinativo por milhares de anos enquanto outras espécies se perdem em poucos dias. O crescimento da planta também requer cuidados especiais: a falta ou o excesso de água impede o seu perfeito desabrochar.

O que significa o germe no âmbito da moral evangélica? Significa as ações que estamos praticando tanto no lar quanto na sociedade. É uma espécie de semeadura que estamos fazendo, cujo resultado retornará para nós no futuro. Dependendo do teor da plantação, da semente, do germe, podemos ter em mente o que o amanhã nos aguarda. Poder-se-ia perguntar: estamos sendo justos e caridosos para com o nosso próximo, ou estamos criando embaraços para aqueles que estão a caminho conosco? Dependendo da resposta, é isso que teremos no porvir.

E quanto à germinação? Esta frutificará, quer queiramos ou não. Uma vez lançada, a semente se desenvolverá obrigatoriamente. Como vimos acima, há sementes de germinação mais lenta. Mas isso não quer dizer que deixará de frutificar. Nesse caso, se estamos plantando e não estamos vendo o resultado da germinação, esperemos um pouco mais, pois a seu tempo ceifaremos se não houvermos desfalecidos. Geralmente, para as coisas mais graves e de maior repercussão, é necessário um maior tempo de maturação, no sentido de que a árvore não seja derrubada por qualquer sopro.

Tenhamos confiança nas palavras de Jesus. Por pior que seja a dificuldade, busquemos o amparo dos bons Espíritos. Quando nos desviamos do caminho que devemos percorrer, é possível que a cruz fique ainda mais pesada.

Nenhum comentário: