03 julho 2008

Vontade - Esforço e Repouso

Os grandes homens são conhecidos pelos constantes esforços despendidos na execução de suas obras. Não deixaram escapar um minuto do precioso tempo. Na fila do ônibus ou à espera no consultório médico tinham sempre à disposição lápis e papel para rascunharem suas idéias ou um livro para entreterem-se seus pensamentos.

O esforço tem íntima relação com a saúde. Um corpo são, vigoroso e flexível suporta melhor a carga de trabalho do que um doente, fraco e rígido. Isto não significa que as pessoas fracas estejam impossibilitadas de produzir. Se ponderarem conscientemente a meta a atingir com relação as suas capacidades físicas verão que poderão fazer muito. Lembremo-nos de que mesmos cansados e com os pés desconjuntados podemos caminhar um pouco mais.

O repouso é o prêmio do trabalho; não é o fim em si mesmo, mas refazimento das forças alocadas no trabalho. Deve-se, assim, evitar de transformá-lo em gerador de novas tensões. O trabalhador intelectual, por exemplo, não deveria refazer suas forças jogando xadrez; melhor seria caminhar ao ar livre, arrotear plantas ou aplicar-se à carpintaria. O trabalhador braçal, ao contrário, poderia dedicar-se à leitura.

Romper velhos hábitos tem sua recompensa. No começo é difícil, pois acostumados à preguiça, nem sempre o corpo responde com precisão à nova postura. Perseveremos, porque uma vez automatizado esse novo proceder, quando o deixarmos de realizar, sentiremos sua falta, visto tornar-se um hábito para nós. Observe a disposição de trabalhar logo ao levantar-se: no começo queremos ficar um pouco mais na cama; vamos inventar uma série de subterfúgios para eximirmo-nos da decisão tomada. Porém, persistindo, criamos o hábito e não perdemos tempo na execução do projeto.

Criar um novo hábito não é difícil; o problema está na sua manutenção. Nesse mister, algumas precauções são valiosas: especificar claramente o objetivo a ser atingido, agir sempre reflexivamente e preparar-se mentalmente para tal realização. Suponhamos a prática do preceito "trabalhar logo ao levantar-se" com relação à tarefa de escrever um artigo. No dia anterior, antes de dormir, deixar lápis, papel e livros de consulta à disposição, de modo que não haja razões para adiarmos o trabalho, a não ser em circunstâncias fortuitas.

Envidemos, assim, todos os esforços na criação de hábitos salutares caso queiramos viver eficazmente. Somente desta forma dominaremos a nós mesmos e produziremos mais em sociedade.

Fonte de Consulta

PAYOT, J. La Educación de la Voluntad. Buenos Aires, El Ateneo, 1943 (Colección Cultura Universal).
JAGOT, P. C. Como Aprender a Quere com Tenacidad. Santiago do Chile, Zig-Zag, 1938. 

São Paulo, 24/01/1996.

Nenhum comentário: