17 agosto 2011

Toxicomania e Espiritismo

Toxicomania - do gr. tocsicon = veneno + mania = loucura, demência. É a escravização ao uso de entorpecentes. 

Há entorpecentes naturais, retirados de vegetais, e sintéticos, produzidos pela Química moderna. Os mais conhecidos são: o ópio, resultante da coagulação do suco de algumas espécies de papoulas; a coca, extraída de plantas eritrofiláceas; a maconha, neconha, diamba ou liamba, que é retirada da resina produzida pela floração e frutos do cânhamo "cannabis satura". 

O problema da toxicomania não está só na droga. A ideia de que, eliminando o psicotrópico, a toxicomania ficaria consequentemente eliminada tem a sua origem na ideia de que ela (a toxicomania) explica-se através do tripé: agente, hospedeiro e ambiente. Quer dizer, não devemos atribuir somente às drogas toda a culpa da toxicomania. Esta representa uma gama enorme de problemas econômicos, sociais, psicológicos e espirituais.

O vício do fumo e do álcool, do ponto de vista espiritual, é uma responsabilidade do próprio Espírito. Muitas vezes culpamos o meio ambiente, a televisão, o rádio e o cinema, mas esquecemo-nos de que temos o livre-arbítrio e a vontade de o evitar. O espírita tem outras razões para serem analisadas: uma delas, é o fato de poder ter sido um viciado numa encarnação anterior. Quando reencarna, reencarna com tendência ao alcoolismo ou ao tabagismo; a outra, não menos importante, é a influência dos Espíritos obsessores que nos induzem a consumir esta ou aquela droga com a intenção de usufruírem das substâncias que delas são emanadas.

A prece, a boa leitura e os bons conselhos ajudam. Mas, somente conseguiremos bom êxito, quando nos conscientizarmos de envidar todos os esforços necessários para nos libertarmos da escravidão que tais vícios nos engendram.



Nenhum comentário: