01 janeiro 2012

Ano Novo, Vida Nova (1.º de Janeiro de 2012)

O ano está começando. Imprimamos, no seu início, pensamentos de paz, harmonia, trabalho, perseverança, e, também, pensamentos de resignação perante a dor. Em todo o começo de ano, nada mais justo do que projetá-lo ao longo dos seus trezentos e sessenta e cinco dias. Projetar não é realizar, é prever os acontecimentos, dentro dos desafios e riscos inerentes à sua futura realização.

Neste primeiro dia, podemos fazer uma previsão do ano em termos de trabalho, atividades voluntárias e, no caso do Centro Espírita, como será a nossa participação, juntamente com outros colaboradores, na divulgação e no engrandecimento da Doutrina codificada por Allan Kardec.

Não importa o quanto já fizemos; temos que produzir hoje, pois o que realmente conta é o momento presente, o qual deve ser aproveitado ao máximo, lembrando que tempo – nosso único patrimônio – uma vez perdido, não volta mais. Para o progresso do espírito, não há idade cronológica, idade física. Podemos mudar de atividade, mas não de anseio ao progresso. 

No planejamento do ano, há algumas atividades que já estão dadas como certas, que não podem ser mudadas. Mesmo assim, podemos prevê-las dentro de um clima de criatividade, como se fosse a primeira vez que as estivéssemos fazendo.

Tenhamos por princípio agir de acordo com os princípios éticos e morais. Quem atua segundo esses princípios, e não segundo os interesses pessoais, mantém a sua consciência tranquila, que lhe permite entrar e sair de qualquer lugar sempre pela porta da frente.  

Algumas lembranças para o ano que se inicia:
  • Deus em primeiro lugar;
  • Hic et nunc (aqui e agora);
  • Olhar pelo que se troca;
  • Abertura ao novo;
  • Ouvir o que outro tem a dizer;
  • Matricular-se em algum curso novo...

Nenhum comentário: