01 julho 2015

Imaginação

FotoImagem é a representação mental de um objeto externo percebido pelos sentidos. Imaginação é a faculdade de representar ou de combinar imagens de objetos ausentes, reais ou possíveis. Pela imaginação, podemos, não só evocar coisas anteriormente percebidas, como também inventar ou criar, em nosso espírito, coisas que, na realidade, não existem. PsicologiaImaginação é a atividade psicológica que desempenha um papel intermediário entre a atividade intelectual (raciocínio lógico) e as leis da afetividade. 

Para Platão, uma coisa aparece como imagem de outra e remete, pela semelhança, a uma realidade anterior, considerada como arquétipo. Para Aristóteles, a imagem é a representação analógica ou "fantasma", deixada na alma pela sensação, que persiste, e pode renovar-se com uma certa liberdade, após o ato de sensação ter cessado.

O pensador Emile Coué é famoso pela frase: “Dia a dia, em todos os sentidos, estou ficando melhor e melhor” (Tous les jours à tous aponta de vue je vais de mieux en mieux). Para ele, a imaginação é superior à razão: "Uma pessoa quando está numa briga íntima entre a imaginação e a razão, a imaginação sempre é a vencedora”. Costumava dizer que um indivíduo caminha naturalmente sobre uma prancha no chão. Colocando-a no alto, fica com medo de andar sobre ela. O medo vem da imaginação. 

A imaginação tem relação com a associação de ideias. O Espírito André Luiz explica-nos a associação de ideias da seguinte forma: "Emitindo uma ideia, passamos a refletir as que se lhe assemelham, ideia essa que para logo se corporifica, com intensidade correspondente à nossa insistência em sustentá-la, mantendo-nos, assim, espontaneamente em comunicação com todos os que nos esposem o modo de sentir". (Xavier, 1977, p. 48)

Paralelamente à associação de ideias, temos a reflexão de ideias. O fenômeno de reflexão de ideias caracteriza-se pela volta da mente sobre o conteúdo de uma mesma ideia. De tanto refletir sobre o mesmo teor de ideias ou imagens, formamos uma espécie de campo mental que nos leva para a concretização de nossos desejos. 

A imaginação influencia substancialmente a ação. Nesse sentido não se deve, ao cair num poço, ficar pensando qual pé escorregou primeiro, mas tentar sai dali. 

Fonte de Consulta

ENCICLOPÉDIA LUSO-BRASILEIRA DE CULTURA. Lisboa: Verbo, [s. d. p.]

XAVIER, F. C. Mecanismos da Mediunidade, pelo Espírito André Luiz. 8. ed., Rio de Janeiro, FEB, 1977.

Nenhum comentário: