23 agosto 2019

Células-Tronco

As células são consideradas como a menor porção viva do organismo. São formadas, fundamentalmente de três partes: membrana envolvente, citoplasma e núcleo. Tecido é um grupo de células semelhantes destinado à realização de determinadas funções. Órgãos são formados por um tecido ou um grupo de tecidos que desempenham determinadas funções. Sistemas são formados por um conjunto de órgãos constituídos por um único tecido. Aparelhos são formados por um conjunto de órgãos constituídos por vários tecidos. O organismo humano é formado por numerosos órgãos, os quais trabalham harmonicamente para assegurar a vida. (1)

Uma célula-tronco é uma célula que pode se reproduzir e gerar diferentes tipos de células funcionais. Presentemente, as células-tronco mais famosas são as células-tronco embrionárias (CTEs), cultivadas in vitro. Lembrando que o embrião é uma estrutura originária da fertilização de um óvulo (gameta feminino) por um espermatozoide (gameta masculino).

Para uma melhor compreensão do assunto, anotemos:

Cultura de tecidos. Consiste em produzir células fora do corpo, em tubos de ensaio. Foi a partir de 1950 que começou a ser usada, quando passou a ser possível comprar de fornecedores biológicos.

Terapia celular. É o uso de novas células para substituir as que morreram e introduzi-las na parte do corpo em questão. Exemplos: células do músculo do coração para um coração fraco; neurônios em uma parte do cérebro afetada por um AVC.

Transplante de medula óssea. É a mais importante forma de terapia com células-tronco, pois é possível coletar medula óssea (e as células-tronco hematopoéticas que contém) em quantidade suficiente de doadores vivos.

Pretensas terapias com células-troncoSão as "terapias com células-tronco" que não tem explicação científica clara. Isso normalmente envolve enxertos autólogos de células de uma parte do corpo em outra, ou às vezes enxertos alogênicos de determinada linhagem de celular na região afetada. (2)

Quando analisamos a questão das células-tronco na perspectiva espírita, devemos ter em mente que, teoricamente, é possível que muitos embriões concebidos in vitro não tenham Espíritos, porém, é impossível aceitar que, nesse tipo de fertilização, nunca haverá ligação de Espíritos. Assim, se foram criados com a intenção de nascer, podem perfeitamente ter Espíritos ligados. Se o embrião congelado não é vida, por que o embrião no útero seria? (3)

Fonte de Consulta

(1) DUARTE, José Coimbra. O Corpo Humano. 8.ª ed., São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1971. 
(2) SLACK, Jonathan. Células-Tronco: uma Breve Introdução. Tradução de Janaína Marcoantonio. Porto Alegre, RS: L&PM, 2018. (Coleção L&PM POCKET, v. 1293)
(3) (matéria publicada na Folha Espírita em março de 2006)

Nenhum comentário: