24 março 2020

Coronavírus e Espiritismo

O Novo Coronavírus ou Covid-19 é um vírus de origem chinesa. Ele ataca principalmente as vias respiratórias e, em alguns casos, leva o indivíduo ao óbito. Para evitar a pandemia, pede-se que as pessoas fiquem em casa e tenham o menos contato presencial possível com os outros indivíduos, principalmente os mais idosos.

Qual a razão desse fenômeno? É um castigo divino? Como afetará a vida econômica do mundo todo? Que atitudes tomar? Como entendê-lo sob a ótica espírita? Comecemos a nossa análise pela expressão: "o acaso não existe". Se o fenômeno surgiu, então há uma razão, razão esta que muitas vezes não está ao nosso alcance.

Reflitamos, pois, sobre a geração nova.

Allan Kardec trata da "Geração Nova", um subtema do capítulo XVIII, São Chegados os Tempos, de seu livro A Gênese. Por Geração Nova, entende-se uma humanidade regenerada em que a inteligência e a razão caminham irmanadas com o sentimento inato do bem. Será que a humanidade atual apresenta essa característica? Não estamos mais preocupados com a mentira, o erro e as satisfações materiais? 

Geração nova versus geração velha. A geração nova caracteriza-se pela aquisição da inteligência e da razão, ainda incipientes, juntas ao sentimento inato do bem. Não se comporá exclusivamente de Espíritos superiores, mas daqueles que já tenham feito algum progresso moral e intelectual e se acham em condições de dar continuidade ao progresso já alcançado. geração velha, composta de Espíritos atrasados, caracteriza-se pela revolta contra Deus, pelo se negarem a reconhecer qualquer poder superior aos poderes humanos. Neles há a propensão instintiva para as paixões degradantes, para os sentimentos antifraternos de egoísmo, de orgulho, de inveja, de vaidade etc.

Chegado o tempo, haverá grande emigração de Espíritos. Os Espíritos que praticam o mal pelo mal serão recambiados para outros orbes, mais inferiores do que o Planeta Terra. É da lei do progresso que essas coisas acontecem. É que o Planeta Terra também está passando por uma transformação, ou seja, de mundo de provas e expiações para o mundo de regeneração. Neste novo mundo, os Espíritos recalcitrantes no mal não terão mais vez e precisarão ir para outro lugar, para não atrapalhar o progresso dos que aqui estarão reencarnados.

Quer queiramos quer não queiramos, o nosso planeta segue o seu caminho evolutivo. Ele está passando para um mundo de regeneração - em que o bem deve predominar sobre o mal. Quem sabe não está chegando a hora? Quem sabe esse momento, tal como ocorreu na Idade Média, não seja motivo de cada um voltar para dentro de si mesmo, buscando uma nova maneira de entender a vida, a alma e Deus?  

Suponha que esse vírus nos ataque e nos tire a vida. O espírita deve temer a morte? Em hipótese alguma, pois ele tem a certeza da imortalidade da alma, de que sua essência continua intacta no verdadeiro mundo, no mundo espiritual.  

Nenhum comentário: