31 outubro 2018

Destino e Destino Manifesto

Destino é um termo de significação complexa. O termo latino factum significa o conjunto das coisas ditas por um oráculo acerca do futuro. A sorte que cabe a cada coisa cognoscível por meio de oráculos, da intuição e até da reflexão racional. Há que se diferenciar destino e acaso, destino e determinismo, destino e predestinação. Fala-se em concatenamento supostamente necessário de fatos e suas causas. Na história das religiões e na linguagem popular, uma força superior que rege os acontecimentos e a vida dos homens. Em geral, imagina-se um ser impessoal, exterior e superior o ser humano.

Em filosofia, emprega-se palavra "destino" em três sentidos: "1.º No de poder, causa, ou princípio ativo pelo qual certos acontecimentos seriam previamente determinados, suceda o que suceder, e seja o que for que façam os seres dotados de inteligência a fim de os evitar (acepção relacionada com a ideia de fatalismo); 2.º, no conjunto da vida de um ser, ou seja a série de acontecimentos que a compõem, na medida em que estes, contingentes ou não, são considerados como resultantes de forças exteriores e distintas da vontade desse ser; 3.º, no de finalidade de um ser ou seja aquilo para que ele foi feito (neste último sentido diz-se também destinação)". (Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira)

Do ponto de vista espírita, destino, feliz ou desgraçado, é a consequência de nossos atos. É o resultado de muitas atividades que culminam num momento, para nós inesperado, mas que, para os arquitetos da Vida, está adredemente programado. Para bem compreendermos o destino, convém relacionar livre-arbítrio e fatalidade. Fatalidade diz respeito à escolha das provas. Ceder ou resistir é trabalho do livre-arbítrio.

A doutrina do "Destino Manifesto" é uma filosofia que expressa a crença de que o povo dos Estados Unidos foi eleito por Deus para comandar o mundo, sendo o expansionismo geopolítico norte-americano apenas uma expressão desta vontade divina. De acordo com o historiador Frederick Merk, este conceito nasceu do "senso de missão para redimir o Velho Mundo pelo exemplo ... gerado pelos potenciais da nova terra para a construção de um novo céu".

Os marcos da conquistas americana.


  • A compra da Louisiana, em 1813, foi seguida por uma expansão ainda maior dos Estados Unidos através de colonização, compra e guerra. 
  • 1819 - Os Estados Unidos compram da Espanha o resto da Flórida e reconhecem a posse do Texas pela Espanha. 
  • 1836 - Os colonos do Texas declaram a independência e expulsam o exército da nova República do México. 
  • 1846- A disputa com a Grã-Bretanha pelo Oregon resolve-se pela fixação de fronteiras no paralelo 49. Os EUA entram em guerra com o México. 
  • 1848 - Tratado de Guadalupe Hidalgo: os EUA obtêm a Califórnia, o Utah e parte do Texas, Novo México e Arizona. Ouro na Califórnia. 
  • 1853 - Compra de Gadsden: os EUA obtêm o Arizona e o Novo México. 
  • 1867 - Os EUA compram o Alasca, abarcando toda a América do Norte acima do México, exceto o Canadá. (Grandes Acontecimentos que Transformaram o Mundo. Rio de Janeiro: Reader's Digest Brasil, 2000)



Divaldo Pereira Franco: Marxismo e Ideologia de Gênero

Divaldo Pereira Franco fala sobre os malefícios do marxismo para o planeta e a ideologia de gênero para as crianças.

Precisamos enaltecer os laços familiares. Sem famílias bem estruturadas, acabaremos nos chafurdando no abismo da imoralidade. 


Maricy Vogel e sua Previsão sobre Bolsonaro

A astróloga Maricy Vogel, que previu a vitória de Trump e o ataque a Jair Bolsonaro, volta ao programa do Amaury Jr. Ela ainda fala de Lula, Sérgio Moro e Donald Trump. Sua análise baseia-se nos fundamentos da astrologia.

Segundo a sua previsão, 2020 haverá grandes mudanças no mundo, inclusive na Venezuela.





23 outubro 2018

Parábola do Espinheiro

Certo dia as árvores saíram para ungir um rei para si. Disseram à oliveira: ‘Seja o nosso rei!’. A oliveira, porém, respondeu: ‘Deveria eu renunciar ao meu azeite, com o qual se presta honra aos deuses e aos homens, para dominar sobre as árvores?’ “Então as árvores disseram à figueira: ‘Venha ser o nosso rei!’ “A figueira, porém, respondeu: ‘Deveria eu renunciar ao meu fruto saboroso e doce, para dominar sobre as árvores?’ “Depois as árvores disseram à videira: ‘Venha ser o nosso rei!’ “A videira, porém, respondeu: ‘Deveria eu renunciar ao meu vinho, que alegra os deuses e os homens, para ter domínio sobre as árvores?’ “Finalmente todas as árvores disseram ao espinheiro: ‘Venha ser o nosso rei!’ “O espinheiro disse às árvores: ‘Se querem realmente ungir-me rei sobre vocês, venham abrigar-se à minha sombra;” (Juízes 9:7-15).

As demandantes procuraram algo mais excelente, mas somente o espinheiro (árvore de má fama) se propôs a reinar sobre elas. Diz-se que o espinheiro gostou tanto que não quis mais sair do poder. 

Uma reflexão: algumas pessoas de grandes competências se recusam a gerir o bem público: as más escolhas derivam, quase sempre, de atitudes omissas.