28 outubro 2017

29.º Simpósio Espírita do Centro Espírita Ismael

Realizou-se, em 22 de outubro de 2017 (domingo), das 9 às 17h30, o 29.º Simpósio Espírita do Centro Espírita Ismael, cujo tema central foi: “As Missões da Casa Espírita”.

Os sub-temas foram: 

“Criação e Administração de um Centro Espírita”, por Terezinha Sgulmar;

“O Ensino Espírita-Cristão como Base do Centro Espírita”, por Sérgio Biagi Gregório;

"O Trabalho Mediúnico e Assistência Espiritual no Centro Espírita”, por José Roberto Godoy;

“A Assistência Social-Cristã no Centro Espírita”, por Maria Aparecida Fernandes da Silva.


Um domingo de muito aprendizado sobre a formação, a administração e a manutenção de uma Casa Espírita. Estiveram entrelaçados todos os aspectos inerentes às funções primordiais de um Centro Espírita: sede social, estatuto, ensino, passes espíritas e as atividades de assistência social. 

Áudio do tema O Ensino Espírita-Cristão como Base do Centro Espírita

  

27 outubro 2017

Carma / Karman

Karma é um termo sânscrito que, literalmente, significa "ação" ou "feito". É o somatório de nossas ações, desta e de outras vidas; determina em que circunstâncias renascemos a cada vez. Na filosofia hindu e budista, é concebido como o princípio de causalidade universal: toda ação é causada por uma ação anterior e por sua vez provoca ações posteriores.

Oportunidade, sorte e acaso são incompatíveis com a lei do karma. Segundo esta lei, "Um homem transforma-se naquilo que faz, no modo como se comporta; sejam quais forem as obras que fizerem colherão o fruto delas; do outro mundo em que vive, regressa a este mundo de obras e de trabalho". Em outras palavras, tudo é determinado pela inflexível lei de causa e efeito. 

Para o budismo e o jainismo, o karma brota do desejo. Extinguindo-se este, extingue-se também o karma. Buda, "o iluminado", dá-nos, através das "Quatro Nobre Verdades"  a doutrina central do budismo –, orientações para vencer o desejo (sofrimento) e atingir o nirvana, um estado no qual todo o karma é anulado e uma pessoa pode sair do ciclo de renascimento.

O "Nobre Caminho Óctuplo" – o caminho para o fim do sofrimento  consiste em oito passos, sem um esquema definido, pois os passos são princípios (não ações). Os passos consistem em: 1.º na justa visão; 2.º na justa resolução; 3.º na justa linguagem; 4.º na justa conduta; 5.º no justo viver; 6.º no justo esforço; 7.º na justa mentalidade; 8.º na justa concentração. 

Na Índia, a crença no karma está espalhada com aspecto de fatalidade, não deixando abertura ao acaso. Diante dessa posição, acabamos visualizando o karma sempre como uma mácula (ação má) que tem de ser erradicada. Daí, usarmos indevidamente esta palavra, principalmente quanto dizemos para um parente: "Você é meu karma". 

Na lei do karma, o indivíduo é levado a pensar da seguinte forma: sendo bom, merecerá alta posição; sendo mal, baixa. Há casos em que o espírito pode reencarnar em forma animal. Nesta filosofia são levados em conta o motivo da ação, a ação propriamente dita e as consequências da ação. Quer dizer, mesmo não fazendo nada, estaremos criando um karma. 

Na concepção da Doutrina Espírita, a palavra carma ajusta-se à lei de ação e reação, porém sem a fatalidade que o termo incorpora, ou seja, sofrer e resgatar dívidas do passado. Em realidade, a reação nada mais é do que uma resposta – boa ou má –, em razão de nossas ações. Pergunta-se: se estamos praticando boas ações, por que aguardar o sofrimento?

16 outubro 2017

Ideologia de Gênero

A "ideologia de gênero" é uma expressão usada pelos críticos da ideia de que os gêneros são, na realidade, construções sociais. Para os defensores desta "ideologia", não existe apenas o gênero "masculino" e "feminino", mas um espectro que pode ser livremente escolhido pelo indivíduo. De acordo com a ideologia de gênero, o "gênero" pode ser mutável e não limitado, como define as ciências biológicas.

Os defensores da chamada "ideologia de gênero" alegam a necessidade de se discutir a identidade de gênero nas escolas; os críticos à "ideologia de gênero" acusam esta de servir para doutrinação das crianças, desconstruindo os conceitos da família tradicional baseados em preceitos religiosos. (https://www.significados.com.br/ideologia-de-genero/)

Assista aos vídeos abaixo: eles lançam um pouco de luz sobre a polêmica da "ideologia do gênero". 







11 outubro 2017

Renovando Atitudes

Nosso caminho terreno é marcado por bons e maus momentos. Quando o horizonte fica escuro, a primeira reação é o desespero, a vitimização. Tomando consciência desse agravo do comportamento, peçamos o auxílio dos bons Espíritos. O Espírito Emmanuel, nos livros "Fonte Viva", "Vinha de Luz", "Caminho, Verdade e Vida", entre outros, oferece-nos o lenitivo evangélico para muitas de nossas preocupações. 

Os bons Espíritos estão sempre nos incentivando a perdoar e a orar para aqueles que nos ferem e nos criam problemas. Nesse caso, a oração é um lenitivo poderoso. Em estado de oração, nada de ficar falando mal da pessoa que nos causou problema. Antes, silenciemos o nosso pensamento e enviemos vibrações de paz e harmonia para o seu reequilíbrio psíquico, físico e emocional. 

Concedamos tempo ao tempo. Não queiramos que os entraves se resolvam da noite para o dia. Contudo, mantenhamos a concentração em nossos afazeres, consoante o aviso: "uma bomba ao lado não deve ser suficiente para mudar o foco de nossa atenção". Se o problema persistir, retomar o exercício da prece, mas da prece sincera e não daquela que exige a anulação do nosso próximo. Jesus nos ensinou a perdoar não sete, mas setenta vezes sete vezes. 

Hoje, temos a impressão de que os valores morais estão sendo deixados para o segundo plano. Em política, só ouvimos comentários sobre corrupção. Na apresentação pública, o nu e o obsceno são elevados à categoria de arte, desmoralizando os valores básicos da família. Numa rua dos Jardins de São Paulo, devido às cenas obscenas de travestis, há famílias que se fecham na sexta-feira e só saem à rua na segunda-feira, para trabalhar. 

Às vezes, temos a impressão de que já dominamos um defeito. Contudo, basta voltar o estímulo e já nos refocilamos no solo. É justamente aí que temos de nos recolher e pedir o auxílio dos mensageiros de luz. Eles podem abrir a nossa mente para algo que estava embotado. De qualquer maneira, tenhamos em conta que o problema é sempre nosso.  

05 outubro 2017

Perispírito: Notas Extraídas da Revista Espírita

Teoria das Manifestações Físicas

Haveria, assim, em nós, duas espécies de matéria: uma grosseira, que constitui o envoltório exterior, outra sutil e indestrutível. A morte é a destruição, ou melhor, a desagregação da primeira, da que a alma abandona; a outra se libera e segue a alma que acha, desse modo, ter sempre um envoltório; é o que chamamos perispírito. Essa matéria sutil, extraída, por assim dizer, de todas as partes do corpo ao qual estava ligada durante a vida, dele conserva a impressão; ora, eis por que os Espíritos se veem e por que nos aparecem tais quais eram quando vivos. Mas essa matéria sutil não tem a tenacidade, nem a rigidez da matéria compacta do corpo; ela é, se assim podemos nos expressar, flexível e expansível; por isso a forma que toma, se bem que calcada sobre a do corpo, não é absoluta; ela se dobra à vontade do Espírito, que pode dar-lhe tal ou tal aparência, à sua vontade, ao passo que o envoltório sólido oferece-lhe uma resistência intransponível; desembaraçado desse entrave que o comprimia, o perispírito se estende ou se retrai, se transforma, em uma palavra, se presta a todas as metamorfoses, segundo a vontade que age sobre ele.

03 outubro 2017

Allan Kardec: Nova Luz para a Humanidade

Allan Kardec, pseudônimo de Hippolyte-Léon Denizard Rivail, nasceu em 3 de outubro de 1804, na cidade de Lyon, França. Foi professor, escritor, filósofo e cientista. Desencarnou em 31 de março de 1869. 

A sua estada em nosso planeta propiciou a vinda de uma nova luz, a luz do Espiritismo, uma marco na história da humanidade. Jesus, quando esteve encarnado, disse que mandaria o Consolador Prometido. A Doutrina Espírita é o Consolador Prometido. Contudo, para que isso fosse possível, haveria a necessidade do desenvolvimento das ciências teóricas-experimentais. Os princípios doutrinários do Espiritismo foram cunhados sob as regras do método científico. 

Hoje, 3 de outubro de 2017, a comunidade espírita está comemorando mais um aniversário de nascimento desse nobre espírito, que não mediu esforços para nos trazer os fundamentos do Espiritismo, consoante o aspecto científico, filosófico e religioso. Além disso, documentou todas as ideias para não acontecer o que aconteceu com o cristianismo que, exposto de forma oral, gerou muitas controvérsias.

A Doutrina Espírita, que não é obra de Kardec mas dos Espíritos, oferece-nos a solução para os diversos fenômenos (mediúnicos, morais, antropológicos) que não encontramos em outras doutrinas conhecidas: simultaneidade de pensamentos, simpatias e antipatias, os conhecimentos intuitivos etc. 

Os princípios da Doutrina Espírita foram formulados de acordo com a universalidade do ensinamento, ou seja, por instruções idênticas, dadas em todos os lugares, por médiuns estranhos uns aos outros, isentos de obsessões e assistidos por espíritos esclarecidos. Foram comunicações de cerca de mil Centros Espíritas sérios, disseminados em diversos pontos do globo. (p. 68 da Revista Espírita de 1864) Esta é a única séria garantia na concordância que existe entre as revelações espontâneas, feitas por grande número de médiuns estranhos uns aos outros e em diversas regiões. 

"Foi a universalidade do ensino dos Espíritos que fez a Doutrina Espírita. Cada parte só tem valor e autoridade pela conexão com o conjunto, devendo todas se harmonizar e cada uma chegar a seu tempo e ao seu lugar. Não confiando a um só Espírito o cuidado da promulgação da doutrina, quis, além disso, que o menor, como o maior, entre os Espíritos como entre os homens, trouxesse sua pedra ao edifício, a fim de estabelecer entre eles um laço solidariedade cooperativa, que faltou a todas as doutrinas saídas de uma fonte única". (p. 284 da Revista Espírita de 1867)

Qual foi o papel de Allan Kardec? Nem de inventor, nem de criador. Apenas observou, estudou e organizou os fatos com cuidado e perseverança, deduzindo-lhes as consequências. Uma reflexão sobre essas consequências muda inteiramente a maneira de encarar o futuro. A vida futura não é mais uma hipótese, é uma realidade, pois o estado das almas após a morte é fruto de observação. 

Reverenciemos Allan Kardec e a plêiade de Espíritos que o auxiliaram na disseminação da ideia espírita.