16 julho 2017

Culpa

CulpaEmoção autoconsciente de ter pensado ou feito algo errado. Ação repreensível praticada contra a lei ou a moral; falta; delito, crime; pecado. Culpado é aquele que, por um desvio, por um falso movimento da alma, se afasta do objetivo da Criação. Em direitoconjunto de requisitos que tornam reprovável a conduta do agente, dirigida à produção de um fato ilícito e que, se este fato é um crime, são uma condição necessária para a aplicação de uma pena.

O sentimento de culpa é a compreensão de que se violou um princípio ético ou moral. É um colapso da consciência e, através dele, sombrias forças se insinuam. Na psicologia, espécie de "complexo inconsciente de acusação" (Baruk) que faz com que, em certos psicopatas (melancolia, esquizofrenia), o doente experimente dor moral por certas faltas que, muita vez, não cometeu.

Comparando culpado e inocente, verificamos que as consequências na vida futura são bem distintas. Os culpados erram nas trevas; os bem-aventurados gozam de felicidade. O mau é atormentado por remorsos e pesares; os bons recolhem a paz dos eleitos. Não pensemos, porém, que a reencarnação é um castigo e somente os Espíritos culpados estão sujeitos a sofrê-la. A reencarnação é, antes de tudo, uma oportunidade de progresso do Espírito imortal. 

O Espírito Joanna de Ângelis, no livro Momentos de Meditação,  ensina-nos que "A culpa surge como forma de catarse necessária  para a libertação de conflitos. Encontra-se  insculpida nos alicerces do espírito  e manifesta-se em expressão consciente ou  através de complexos mecanismos de auto-punição inconsciente".

Diante de um culpado, não digamos: "Teve o que mereceu". Melhor seria dizer: "Que meios o Pai me colocou nas mãos para auxiliar?" 

Nenhum comentário: