04 abril 2015

Allan Kardec Está Ultrapassado?

FotoAllan Kardec havia assinalado que a Doutrina Espirita é uma só. Podem existir escolas, mas não seitas. Nem sempre as ideias que surgem são realmente novas; muitas vezes elas precisam revestir-se das roupas da modernidade, mas continuam as mesmas ideias, sem nada modificar o que é essencial.

Não há necessidade de se repetir textualmente os ensinamentos de Allan Kardec para se dizer espírita. Observe que muitos citam as obras consideradas básicas do Espiritismo sem as ter consultado e muitos que as leram não assimilaram o seu espírito, pois não se encontravam preparados para tal façanha. Uma informação pode ser memorizada e passada aos outros. É um bom trabalho, mas não quer dizer que o transmissor tenha absorvido o seu conteúdo doutrinal. 

Ao estudarmos a obra de um autor, precisamos penetrar na essência de seu pensamento, repassando-o aos outros de forma criativa e pioneira. Em A Gênese, Kardec insistiu no fato de haver a revelação divina e a revelação humana. Quer dizer, ao lado das instruções dos Espíritos, havia a necessidade do trabalho de pesquisa (ciência) do ser humano. Estas são as características do método kardecista que fixa as distinções entre o Espiritismo e as demais filosofias e religiões na análise dos fenômenos mediúnicos. 

Há necessidade, também, de distinguir as ideias próprias de Allan Kardec daquelas veiculadas pelos Espíritos. Em A Gênese, distinguiu o pensamento dos autores espiritualistas e o ensino dos Espíritos já submetidos à triagem, com a intenção de separar o que era doutrinário daquilo que poderia vir a ser. Em Obras Póstumas recolheu os artigos encontrados em seu gabinete, os quais, evidentemente, não passaram pelo seu crivo final. 

O Espírito Deolindo Amorim, no capítulo 8 "Kardec e Jesus", de Convite à Reflexão, diz:

"Constitui uma temeridade descartar a autoria de Kardec de certos textos para concedê-lo aos Espíritos: como ele mesmo asseverou, eram trabalhos iniciais de aplicação dos princípios doutrinários. Por não fazerem esta distinção, muito mal entendido tem sido gerado na doutrina, e alguns chegam dizer que Kardec está ultrapassado, sem especificarem ao menos se, com isto, se referem ao ensinamento dos Espíritos, às lições particulares de Kardec, à sua metodologia, e, o que é pior,  em que pontos estaria ultrapassado(grifo nosso) Kardec não se dispôs a estudar todos os assuntos que a convivência com os espíritos suscitara, e nem teria tempo para realizar tal empreendimento, nem proclamou ter posto um ponto final na Doutrina Espírita". 

Todo o esforço doutrinário perderia a razão se não houvesse as aplicações do Evangelho de Cristo. Em outras palavras, sem as lições do Evangelho os frutos do Espiritismo não amadureceriam plenamente. 

Fonte de Consulta

SOUZA, Elzio Ferreira de (Psicodigitação e notas). Convite à Reflexão, pelo Espírito Deolindo Amorim. São Paulo: Instituto Lachâtre, 2012. 


Nenhum comentário: