14 abril 2015

Globalização, Civilização e Espiritismo

FotoA globalização, que alguns preferem chamar de mundialização, não é fenômeno apenas dos dias presentes. Desde a antiguidade, vemos que há esforços para a universalização dos conhecimentos adquiridos em economia, direito, política, religião, entre outros. Historicamente, a imprensa teve um papel relevante, pois permitiu que, depois da sua invenção, o conhecimento se tornasse popular e pudesse atingir a todos, inclusive os mais simples.

A globalização tem relação com o progresso técnico. As  novas tecnologias, que que permitem substituir a mão de obra pela máquina, propiciando ao ser humano mais tempo livre, vieram para ficar. Querer deter essa marcha é como remar contra a correnteza. O grande problema é que esse progresso não está sendo revertido integralmente para o ser humano, porque provoca desemprego, o qual tira a autonomia do ser vivente. 

Globalização e progresso têm relação com a civilização. A civilização vem do latim civilis, cidadão, civil. Etimologicamente, o termo significa ação de civilizar, de transmitir padrões de vida, reputados civis, por oposição a bárbaros, selvagens. Em seguida, civilização passou a designar o conjunto de características das sociedades julgadas mais evoluídas, tanto científica quanto tecnicamente, e pelo caráter mais racional de sua composição política, econômica e social.  

Diante das invenções e dos progressos científicos constantes, o indivíduo sente-se sozinho e desorientado. Falta-lhe o valor ético e moral para lhe dar guarida. Observe aos desmandos governamentais  corrupção e má gestão dos recursos públicos pelos quais o Brasil está passando. O que está faltando aos nossos gestores? Não seria a falta dos princípios éticos e morais, principalmente aqueles trazidos por Jesus no Sermão do Monte? 

Allan Kardec, em O Livro dos Espíritos e O Evangelho Segundo o Espiritismo, traz-nos diversas informações sobre essas e outras questões. Em linhas gerais, os Espíritos superiores instruem-nos que cada um de nós deve construir o seu destino de acordo com a Lei Natural, que o adverte quando dela se desvia. Esses Espíritos estão sempre nos estimulando ao progresso e, mesmo quando nos afastamos da Lei, eles estão nos inspirando o pensamento para o bem, que é a meta por excelência do ser humano.  

Neste mundo confuso e globalizado, urge vivenciarmos e comunicarmos as ideias morais, baseadas nos ensinamentos trazidos por Jesus Cristo, para que possamos melhorar o padrão vibratório do nosso Planeta Terra. 



Nenhum comentário: