07 fevereiro 2017

Desafio

De acordo com orientações espirituais, o ano de 2017 deve ser visto como um desafio: transformar o apelo material em apelo espiritual. Nesse sentido, os Centros Espíritas têm papel relevante, pois os seus colaboradores precisam de muita paciência, compaixão e compreensão para atender as pessoas ansiosas pelas coisas do espírito, cujo entendimento está muito distante dos pressupostos da Doutrina Espírita.

A vida espiritual não se faz de um dia para o outro. Muitos querem se libertar do vício e das suas idiossincrasias apenas com um toque de mágica. Ainda não percebem que o progresso é uma luta árdua para vencer o desânimo, a má vontade e os revezes da sorte. Pensam: se eu tomar uns passes e fizer alguns cursos já estarei com o passaporte em mãos para entrar no mundo espiritual superior. 

O Evangelho propõe-nos vigiar os pensamentos. Por quê? Tudo tem origem no pensamento. Há um insight que cria forma, materializa-se e manifesta-se no seio da sociedade. Mantendo o nosso pensamento focado no progresso espiritual, teremos mais condições de vencer os obstáculos que se nos apresentam, pois as "tentações" não encontrarão campo, brecha para atrapalhar a nossa jornada evolutiva. 

Tendo em mente que o conhecimento que adquirimos tem que nos tornar mais leves, mais soltos e mais desapegados do supérfluo, urge refletirmos sobre nossa conduta em relação ao que a espiritualidade está exigindo de nós e o que estamos acrescentando à vida. Lembremo-nos da frase evangélica: "Ao que muito foi dado muito será exigido e mais lhe será acrescentado". 

A jornada terrestre é como uma viagem que fazemos: quanto menos bagagem, menos peso temos que levar. O caminho a percorrer não deve ser tratado como uma fuga para lugares irreais, mas como um retorno ao nosso eu, a fim de encontrar a razão e a força para nos descobrirmos à verdade. 


Nenhum comentário: