02 outubro 2014

Júpiter e Terra

O nosso sistema planetário (Sistema Solar) é constituído por oito planetas principais: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Neptuno. Júpiter, o planeta gigante, é o centro de um sistema composto por 63 satélites e um tênue anel. Com um raio de 71.492 Km, um volume 1.300 vezes superior ao da Terra e uma massa equivalente a quase 318 massas terrestres, Júpiter supera todos os outros corpos do Sistema Solar, exceptuando o Sol.

O Planeta Terra, com 510.934.000 km2 de área total, dos quais 148.148 km2 (um quinto) são ocupados por terra e 149.500.000 km distante do Sol, está localizado na órbita ideal — entre a de Vênus e a de Marte — para sustentar a vida. Se mais próximo do Sol, estaria muito quente; se mais distante, muito frio. Forma um ecossistema único e finito, imerso no vento solar, bombardeado por partículas do espaço e radiado pela luz solar. Possui, ainda, um campo magnético que o defende de partículas de alta velocidade, vindas do Sol e do Cosmo.

Os graus de evolução do planeta Júpiter e do planeta Terra são antagônicos. Enquanto no planeta Terra  mundo de expiações e provas  o mal predomina sobre o bem, em Júpiter o mal é inexistente e o bem é uma constante em todas as suas atividades. Em Júpiter, todos os sentimentos ternos e elevados da natureza humana são engrandecidos e purificados; há um desejo incessante de se atingir o plano dos Espíritos puros, o que não é um tormento, mas uma nobre ambição que os impele ao aperfeiçoamento.

No planeta Terra ainda temos necessidade da sombra do mal para sentir o bem, das trevas para admirar a luz, da doença para apreciar a saúde, da guerra para vislumbrar a paz. Em Júpiter, esses contrastes são desnecessários, pois a eterna luz, a eterna bondade e a eterna serenidade propiciam aos seus habitantes uma eterna alegria. Pelo fato de vivermos num mundo inferior, não conseguimos compreender esse estado de coisas. Mas, mesmo assim, não nos faltam os avisos espirituais para começarmos esse caminho de evolução. 

No planeta Terra temos facilidade de pintar o inferno de mil modos como o fez Dante em sua Divina Comédia, mas faltam-nos elementos para pintar um mundo mais beatífico que o nosso. Ressaltemos, aqui, o papel dos médiuns  no sentido de entrar em contato com Espíritos mais evoluídos e repassar essas informações a toda a humanidade.   

No mundo como o nosso, dominado pela avareza, pelos descalabros de toda espécie, receber informações de um mundo perfeito em que o bem reine soberanamente, traz-nos uma imensa paz de espírito é um apelo à esperança. 

Para mais detalhes, consulte a Revista Espírita de 1860, p. 334 a 336, de Allan Kardec. 

Um comentário:

Daniel Machado disse...

E evolução é individual e para todos, basta querermos.