09 junho 2009

Desenvolvimento Mediúnico Prático

O termo desenvolvimento mediúnico é utilizado como sinônimo de exercício prático mediúnico. No entanto, o desenvolvimento mediúnico propriamente dito é muito mais, pois desenvolver a mediunidade é aprimorar-se, evangelizar-se, progredir moral e intelectualmente para aumentar as condições psíquicas e espirituais, no sentido de entrar em contato com Espíritos mais evoluídos. Pietro Ubaldi, por exemplo, costumava definir o processo mediúnico como um esforço para ir ao encontro desses Espíritos mais evoluídos. Desaconselhava, assim, a simples apassivação.

Allan Kardec, em O Livro dos Médiuns, mostra-nos que há dois tipos de mediunidade, a natural e a de tarefa. A mediunidade natural é a de todo o vivente, pois todos os seres humanos são passíveis de receber a influência dos Espíritos. Embora todos possam receber a influência, somente alguns, os médiuns tarefeiros, são encaminhados para os treinamentos mediúnicos. Esses exercícios servem para que o médium tome consciência da sua capacidade mediúnica. Os instrutores podem, através desses exercícios, melhor encaminhá-lo para os trabalhos práticos no Centro Espírita.

Os exercícios práticos requerem certa dose de atenção e concentração. A concentração é a capacidade de dirigir a atenção para um único objeto. A atenção pode ser solicitada passivamente por um estímulo externo, mas a concentração é sempre ativa. Emana do sujeito, que escolhe voluntariamente o objeto da sua atenção para nele concentrar-se. Somente quando o médium se concentrar no próprio exercício, isolando os barulhos externos, terá mais condições de se comunicar com os Espíritos desencarnados.

Edgar Armond, no livro Desenvolvimento Mediúnico Prático, auxilia-nos com a sigla PACEM: Percepção, Aproximação, Contato, Envolvimento e Manifestação.
1) percepção dos fluidos – identificação da natureza da entidade espiritual;
2) aproximação – percepção da presença da entidade espiritual;
3) contato – identificação dos centros de força e das partes do organismo que estão sendo atuadas pela entidade comunicante;
4) envolvimento – recepção da mensagem espiritual que está sendo transmitida ao médium;
5) manifestação – a comunicação propriamente dita do Espírito, através do médium.

Para obter êxito no desenvolvimento mediúnico prático, o médium deve apassivar-se. Nesse caso, o relaxamento, a respiração profunda, os pensamentos sadios e alimentação controlada são de grande utilidade. Além disso, deve aguçar o interesse e o entusiasmo, fortalecendo a vontade. O estudo da Doutrina Espírita, a utilização da prece e a disposição de nunca estar ocioso aumentam sobremaneira esse poder de concentração.

Tenhamos em mente o caráter "sagrado" do nosso contato com os Espíritos desencarnados. Utilizemos esse relacionamento somente para o bem e para as reais necessidades do nosso Espírito.

Aprenda Online: Lista dos Cursos 24 Horas

Um comentário:

Anônimo disse...

Ótimos ensinamentos. Obrigada!