05 agosto 2009

Ondas e Percepções

Onda é uma partícula que se desloca com movimento oscilatório. Acontece, porém, que ao deslocar-se provoca um “campo magnético”. O Espírito André Luiz, em Mecanismos da Mediunidade, diz: “À falta de terminologia mais clara, diremos que uma onda é determinada forma de ressurreição de energia, por intermédio do elemento particular que a veicula ou estabelece”.

A sensação é teoricamente a matéria-prima e a condição necessária de qualquer percepção. Há nela a tonalidade afetiva e representativa. As sensações representativas com vocação cognitiva são: cores, formas, sons e impressões táteis; as sensações afetivas mais subjetivas são: cenestesia, sensações de dor, sensações de prazer. Da sensação chegamos à percepção que, para a Psicologia, é o ato pelo qual o espírito organiza suas sensações e reconhece um objeto exterior. Designa também o resultado desse ato.

Para a compreensão das ondas, devemos ter em mente os seguintes elementos: 

Período – É o tempo de uma oscilação, medida em segundos.
Freqüência – Número de oscilações executadas durante UM segundo. Quanto maior a freqüência, mais ALTA é ela; quanto menor, mais BAIXA.
Amplitude – É medida pela distância maior ou menor de subida e descida numa linha média.
Comprimento da onda – É a distância que medeia entre duas oscilações.
Crista – É o ponto máximo de uma oscilação.

As ondas podem ser classificadas da seguinte forma: 1) ondas longas (superiores a 600 metros de comprimento); 2) ondas médias (variam entre 150 e 600 metros); 3) ondas curtas (variam entre 10 e 150 metros); 4) ultra-curtas (todas as que forem menores do que 10 metros). Observação: quanto mais curtas maior é o alcance.

Em física, diz-se das ondas que atingem e deixam rapidamente um valor máximo de amplitude (não se firmando em determinado setor vibratório). No homem, são as produzidas por cérebros não acostumados à elevação espiritual, mas que em momentos de aflição, proferem preces fervorosas. Não conseguem sustentar-se em alto nível. Geralmente, falam que “suas preces não são atendidas”.

Esta analogia entre ondas e percepções leva-nos à reflexão de nossa percepção mediúnica, ou seja, o modo como estamos nos comunicando com os Espíritos. A percepção mediúnica, diferentemente da percepção extra-sensorial, é a visão, audição e comunicação com um mundo que não é percebido pelas vias sensoriais do encarnado. Daí, a necessidade do estudo constante e da aplicação prática da moral do Cristo para que, tornando as nossas ondas mentais mais curtas, possamos nos comunicar melhor com os Espíritos de alta hierarquia espiritual.



Nenhum comentário: