05 janeiro 2021

Vida Futura, A

"A Vida Futura" é um subtítulo de "Influência Perniciosa das Ideias Materialistas" do livro Obras Póstumas, de Allan Kardec. Os outros subtítulos são: "Sobre as Artes em Geral —  Sua Regeneração pelo Espiritismo", "Teoria do Belo", "A Música Celeste", "A Música Espírita", "A Estrada da Vida", "As Cinco Alternativas da Humanidade" (doutrina materialista, doutrina panteísta, doutrina deísta, doutrina dogmática e doutrina espírita) e "A Morte Espiritual".

Embora haja ainda os negadores da vida futura, Allan Kardec dispensa a necessidade de prová-la, pois a vida futura não é mais um problema, mas um fato racional. Hoje existem comprovações científicas. A alma tornou-se objeto de experimentações em laboratório de Psicologia experimental, Psicologia Profunda e Parapsicologia. A própria Física já superou a análise estritamente materialista dos conhecimentos da Terra. Há teorias sobre a antimatéria e antiuniverso. Apesar dessas evidências, convém concentrarmos o nosso foco sobre a influência na ordem social e a moralização que dela resulta.

Vejamos o oposto da vida futura, ou seja, o niilismo, onde tudo se acaba após a morte física. Quais são as consequências dessa crença? Quando o nada se nos apresenta como alternativa da vida futura, podemos fazer o que quisermos, pois tudo se acaba com a morte. Por que o indivíduo se esforçaria para corrigir os seus defeitos? Nada tendo que esperar, o arrependimento e o remorso seriam inúteis. Mas o nada é real ou uma forma de se expressar? Observe que no foro íntimo da consciência , há uma dúvida, que importuna aos que assim pensam.

Em termos da moralização, surge a seguinte dúvida: por que os homens são maus, mesmo aqueles em que a vida futura é ensinada desde que nascem? 1) Eles não seriam piores sem essa crença? 2) A humanidade não está sempre propensa a melhorar os costumes? Isso não seria uma clara ideia da vida futura? Devemos realçar que o progresso da alma humana não é questão de dias ou meses, mas de uma eternidade. E uma vez iniciada, não se dever retroceder. Enalteçamos a fé raciocinada. Hoje, no regime do livre exame, as pessoas querem dirigir-se por si mesmas, ver com os próprios olhos e compreender.

Mais algumas questões:

Como tornar a vida futura um elemento moralizador? Apresentando-a como coisa positiva, quase tangível, satisfazendo plenamente à razão e não deixando dúvidas.

Por que tão poucas pessoas cuidam da vida futura? A ciência afastou-as; a filosofia não aprofundou o tema; ao, contrário, colocou muitas dúvidas com relação ao desconhecido.

Como o ser humano chegará à abordagem racional da vida futura? Quando compreender a reação do futuro no presente. Quando o passado, o presente e o futuro se encadearem por inexorável necessidade.

KARDEC, Allan. Obras Póstumas, página 174.

Nenhum comentário: