04 janeiro 2021

Estrada da Vida, A

"A Estrada da Vida" é um subtítulo de "Influência Perniciosa das Ideias Materialistas" do livro Obras Póstumas, de Allan Kardec. Os outros subtítulos são: "Sobre as Artes em Geral - Sua Regeneração pelo Espiritismo", "Teoria do Belo", "A Música Celeste", "A Música Espírita", "As Cinco Alternativas da Humanidade" (doutrina materialista, doutrina panteísta, doutrina deísta, doutrina dogmática e doutrina espírita), "A Morte Espiritual" e "A Vida Futura".  

Começa a sua redação chamando-nos a atenção para a preocupação de muitos filósofos, ou seja, muitos viram na preexistência da alma a única solução possível para os mais importantes problemas da psicologia. Apontavam, porém, uma objeção central: o esquecimento das existências anteriores. Sem memória do passado, o nada fica em evidência. Daí, a importância das instruções dos Espíritos superiores sobre essa questão. Sem a ajuda deles, estaríamos repletos de dúvidas. 

O Espiritismo, contudo, elucida-nos tranquilamente essa questão. De acordo com os seus postulados, a existência espiritual da alma é a existência normal. As existências terrenas são curtos intervalos dentro da existência espiritual normal. Quer dizer, a alma está encarnada, mas os seus laços com as existências anteriores não se rompem. No sono, pode recobrar as memórias de vidas passadas.

Explica-nos, ainda, que o fato de não termos consciência das faltas passadas, é um bem para nossa alma, porque Deus, na infinita bondade, quis poupar-nos das lembranças das existências desgraçadas. A pluralidade das existências dá um norte ao progresso da alma. O futuro está nas próprias mãos do ser humano. Se gasta muito tempo em melhorar, sofre as consequências da demora.

A simbologia da estrada ajuda-nos a entender o problema das reencarnações. Observe que ao longo de uma estrada, há florestas, que precisam ser ultrapassadas, para um retorno à estrada. Ao entrar na floresta, pela primeira vez, o indivíduo se perde. Caminha sem rumo, tateia aqui e ali, e vai vencendo os obstáculos até ultrapassar essa floresta. A experiência da primeira floresta dá-lhe sabedoria para vencer com mais facilidade as dificuldades das demais florestas.

Resumindo: a estrada é a figura da vida espiritual da alma; as florestas são as existências corpóreas, em que cada alma trabalha para o seu progresso e o progresso geral. 

 KARDEC, Allan. Obras Póstumas, página 157.

Nenhum comentário: