28 outubro 2015

Inveja

"A inveja é uma víbora que espreita a sua futura vítima a todos os instantes, até encontrar ensejo favorável de inocular-lhe o seu vírus letal". 

Inveja. Vem do latim invidia, vontade de não ver, despeito, inveja. Era também o nome de uma deusa do mal, filha da Noite. Consiste na tristeza pelo bem ou alegria pelo mal alheios como se fossem obstáculos ao progresso pessoal de um determinado sujeito. (1)

Nos chamados pecados capitais (gula, avareza, luxúria, ira, inveja, preguiça e vaidade), o jornalista Zuenir Ventura apontou a inveja como o pior dos vícios. A inveja distingue-se da "emulação" e da "indignação". A inveja é um sentimento de desgosto pelo êxito do próximo. A emulação é almejar o êxito do outro, mas com esforço de suplantá-lo. Indignação é a tristeza pela injustiça da posse do bem alheio.

A psicologia explica-nos que há emoções primárias (alegria, medo...), emoções ligadas à estimulação sensorial (dor, repugnância...), emoções ligadas à auto-estima (culpa, remorso...) e emoções ligadas a outras pessoas (amor, ciúme, inveja, ódio). Isto quer dizer que a caracterização da inveja necessita de outras pessoas. Para Freud, a inveja é explicada através do Complexo de Édipo: o garoto sente inveja do pai; a garota, da mãe. 

Para o invejoso e o ciumento não existe repouso: sofrem ambos de uma febre incessante.  As posses alheias lhes causam insônias; os sucessos dos rivais lhes provocam vertigens; seu único interesse é o de eclipsar os outros; toda a sua alegria consiste em provocar, nos insensatos como eles, a cólera do ciúme. (2)


“A inveja é uma das mais feias e tristes misérias do vosso globo. A caridade e a constante emissão da fé extirparão todos esses males, que desaparecerão, um a um, à medida que se multiplicarem os homens de boa vontade que virão depois de vós." (3)


Remédios para a inveja: Reflexão sobre Deus, Pai amoroso e misericordioso, que distribui a cada um de seus filhos os meios necessários para a sua evolução espiritual.

Fonte de Consulta


(1) Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura.

(2) KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo.
(3) São Luís, Revista Espírita, julho de 1858 - A inveja.


Nenhum comentário: