03 outubro 2016

Coma

Coma. Perda total ou parcial da mobilidade voluntária, da sensibilidade e da consciência, com conservação das funções da vida vegetativa, particularmente da respiração e da circulação. A intensidade do coma varia desde o coma ligeiro, em que o doente reage às excitações fortes, ao coma profundo, em que o paciente tem os reflexos abolidos. 

Há vários tipos de coma: coma traumático (fratura do crânio), coma por insolação e resfriamento, coma infeccioso (febre tifoide, pneumonia, paludismo etc), coma por hemiplegia, por autointoxicação, por alcoolismo. O sinais de sincope, estado de estupor, sono profundo e simples sonolência têm relação com o coma, mas podem ser facilmente diferenciados dos do coma.

Este tema tem muito a ver com a experiência de quase morte (EQM). De acordo com pesquisas, 85% dos que passaram pela EQM tiveram um retorno positivo, ou seja, estes momentos de reflexão proporcionaram ao Espírito um outro modo de conduzir a vida. Os relatos do Dr. Raymond A. Moody Jr., que tratam das pessoas que experimentaram a morte clínica e reviveram, corroboram as pesquisas sobre a EQM. 

Em termos espíritas, o coma assemelha-se ao sono, em que o Espírito se desprende do corpo físico e se desloca no espaço, buscando novos contatos e novos ensinamentos. O que se passa com o Espírito nessas condições depende de sua evolução. Há Espíritos, apegados à matéria, que ficam presos ao corpo; outros, mais desprendidos, embora ligados ao corpo, via perispírito, dispõe da mais liberdade.

Os amigos espirituais orientam-nos a nos valer da prece, da palavra amiga e das conservas edificantes quando estivermos em contato com alguém que esteja passando pelo coma. 


Fonte de Consulta

ENCICLOPÉDIA LUSO-BRASILEIRA DE CULTURA. Lisboa: Verbo, [s. d. p.]

XAVIER, Francisco Cândido. Plantão de Respostas, pelo Espírito Emmanuel. Promotor do Evento: Pinga Fogo (II). Digitado por: Lúcia Aydir.


Nenhum comentário: