11 agosto 2020

Mateus ou Marcos?

Por que o Evangelho segundo Mateus aparece primeiro no Novo Testamento?

Há muita controvérsia sobre quem escreveu primeiro o Evangelho. A posição usual é que Marcos escreveu o primeiro Evangelho. Posteriormente, Mateus e Lucas utilizaram Marcos e outra fonte que consistia em frases atribuídas a Jesus, conhecida com Q. Isso ajudou os historiadores. Mas, de onde Marcos retirou o seu material? Marcos devia dispor de tradições orais, que reuniu e colocou em determinada ordem.

Bruno da Silva Moreira, no Projeto Missionário de Deus em Marcos 6,7-13: Fundamentos Bíblicos Marcanos de uma Teologia da Missão, apresentado à Faculdade de São Bento para obtenção do título de Bacharelado em Teologia, joga uma luz sobre o impasse: quem foi o primeiro evangelista: Mateus ou Marcos?

Eis um trecho do referido trabalho:

"Recordando uma antiga tradição cristã, alguém poderá perguntar se o primeiro evangelista não foi Mateus. A tradição diz, ainda, que ele foi o primeiro a escrever um evangelho, e o fez em hebraico (ou aramaico). Mas não temos, hoje, nenhum evangelho aramaico ou hebraico, todos os quatro evangelhos que possuímos foram escritos em língua grega. Eis aí a primeira dúvida a respeito do texto de Marcos. Além disso, o evangelho de Mateus tem as características de ter sido elaborado com base em Marcos. Logo, parece altamente provável que Marcos seja o mais antigo e simples dos quatro; no entanto, é tão importante e profundo quanto os outros. Ainda, destaca-se que Marcos serviu de base para a redação de Mateus e Lucas.

Com a afirmação de que Marcos foi o primeiro evangelho, levanta-se outro problema: Será que Marcos foi o criador do gênero literário evangelho, ou, pelo contrário, tal gênero, nos escritos judaicos, gregos e romanos, já é dependente de literaturas paralelas? Para Bultmann, foi Marcos que criou esse novo tipo de literatura. Dentre os evangelistas, Marcos é o único que vai se referir ao evangelho como “Boa Notícia”. Portanto, será com ele que iremos saber o significado de Evangelho, isto é, qual é essa boa notícia.

Como já mencionado anteriormente, Marcos inaugurou no cristianismo o gênero literário denominado evangelho. Seu anúncio vivo e autêntico torna Jesus Cristo atualmente presente, pois o Evangelho é Jesus Cristo presente no anúncio da Palavra. “Nesse sentido, Marcos é original e inovador, ele próprio decidiu ser o portador de uma Boa Notícia escrita, e o conteúdo disso seria a pessoa de Jesus, suas palavras e ações. Assim, com Marcos surge esse gênero literário, ou seja, um modo de transmitir uma boa notícia”.

Ao contrário de Mateus e Lucas que tiveram durante séculos posição privilegiada, Marcos não teve o mesmo destino, ficando, assim, relegado a segundo plano pela Igreja. “Alguns escritores antigos, como Santo Agostinho, o classificaram como resumo de Mateus”. Devido a esse tipo de comentário pouco se prestou atenção a sua obra na Antiguidade e Idade Média. “Foi por volta de 1900 que os historiadores começaram a dispensar-lhe mais atenção, pensando que ele era mais merecedor de fé do que os outros evangelhos e mais próximo da história de Jesus”. Desde então o evangelho de Marcos passou a ser destaque para os estudiosos, uma fonte preferida.

Dentre os evangelhos sinóticos Marcos é o mais breve, porém isso em nada diminui o valor qualitativo de sua mensagem, o valor literário, seu anúncio e sua intenção teológica. Marcos apresenta não uma biografia de Jesus, mas uma narrativa de Cristo como evangelho (Boa Nova), isto é, uma mensagem de fé a partir da vida histórica de Jesus, à luz do desígnio de Deus."

Para mais informações, acesse http://faculdadedesaobento.com.br/files/pesquisas_43715416-03310777-8663-132018.pdf

Nenhum comentário: