15 outubro 2008

O Sono dos Cristãos

Os papas, os padres e muitos escritores religiosos chamam a atenção para o despertamento dos cristãos para a realidade espiritual, atribuindo-lhes um sono profundo. Para a maioria deles, aqueles que tiveram a oportunidade de entrar em contato com os ensinamentos de Jesus devem assumir um compromisso (com suas consciências) de acordar os outros cristãos que ainda dormem.

A citação básica para as suas admoestações é aquela narrada por Mateus, em que Jesus, próximo à sua morte, visita por três vezes os seus apóstolos e os encontra dormindo (Mateus 26, 39 a 46). Deste texto, surge o seguinte: 1) A observação de Jesus: “Por que dormis?” (“Quid dormitis?) — Lucas 22, 46; A Sua advertência: “Basta! Chegou a hora!” (“Sufficit! Venit hora!”) — Marcos 14, 41; A Sua ordem: “Despertai, vamos!” (“Surgite, eamus!”) — Mateus 26, 46.

De onde vem a letargia dos cristãos? A sociedade está organizada materialmente. Tudo o que fazemos, fazemos com o intuito de obtermos um retorno financeiro, ou seja, fundos que possam ajudar a nossa subsistência. As necessidades espirituais do ser humano ficam em segundo plano. Na vida pública, salvo raras exceções, o que impera é o jeitinho, a falcatrua, as injustiças sociais, de modo que aquele que quer viver honestamente é muitas vezes alijado da mesma.

O verdadeiro cristão deve preferir a meditação ao sono, pois este pode nos levar ao pesadelo. A meditação – ou autoconsciência – como já nos ensinava Sócrates na Antiguidade, nada mais é do que a tomada de consciência das verdades espirituais. Dizer a verdade e mostrar a uma pessoa que ela é injusta pode trazer muitos aborrecimentos para a pessoa que o disse. Pergunta-se: como plantar o Reino dos Céus no coração das pessoas, se não se chamar a atenção para os erros de interpretação das verdades eternas?

Acordar para a realidade espiritual é refletir, de modo tranqüilo e racional, sobre as advertências de Jesus, tentando captá-las na sua verdadeira pureza. Nesse sentido, o Espiritismo pode nos ajudar sobremaneira, porque os benfeitores espirituais estão sempre nos orientando e nos ensinando sobre o verdadeiro sentido dos ensinos trazidos por Cristo. O “não vim trazer a paz, mas a espada” é muito oportuno. Tem-se a impressão que Jesus veio fomentar a guerra, quando, na verdade, veio dizer que toda a ideia nova é factível de debates, de contrariedades.

Acordar é despertar o ânimo dos que estão desesperados. O Espiritismo vem cumprir muito bem essa tarefa. Diz-nos que a idiotia, as deficiências físicas e as doenças incuráveis têm sua explicação na lei de causa e efeito. Se as causas não puderem ser encontradas nesta existência, poderemos procurá-las em existências passadas, de modo que sempre teremos um consolo para a nossa alma enfermiça.

O Espiritismo está apto a acordar os que domem, porque o faz através da razão. Aprender a equilibrar razão e emoção é o imperativo básico para uma vivência plena e de muitas realizações.

Por que Dormis?

"E Disse-lhes: Por que estais dormindo? Levantai-vos e orai, para que não entreis em tentação". - Lucas, 22, 46.

Nos ensinos fundamentais de Jesus, é imperioso evitar as situações acomodatícias, em detrimento das atividades do bem.

O Evangelho de Lucas, nesta passagem, conta que os discípulos “dormiam de tristeza”, enquanto o Mestre orava fervorosamente no Horto. Vê-se, pois, que o Senhor não justificou nem mesmo a inatividade oriunda do choque ante as grandes dores.

O aprendiz figurará o mundo como sendo o campo de trabalho do Reino, onde se esforçará, operoso e vigilante, compreendendo que o Cristo prossegue em serviço redentor para o resgate total das criaturas.

Recordando a prece em Getsêmani, somos obrigados a lembrar que inúmeras comunidades de alicerces cristãos permanecem dormindo nas convivências pessoais, nos mesquinhos interesses, nas vaidades efêmeras.Falam do Cristo, referem-se à sua imperecível exemplificação, como se fossem sonâmbulos, inconscientes do que dizem e do que fazem, para despertarem tão-só no instante da morte corporal, em soluços tardios.

Ouçamos a interrogação do Salvador e busquemos a edificação e o trabalho, onde não existem lugares vagos para o que seja inútil e ruinoso à consciência.

Quanto a ti, que ainda te encontras na carne, não durmas em espírito, desatendendo aos interesses do Redentor.

Levanta-te e esforça-te, porque é no sono da alma que se encontram as mais perigosas tentações, através de pesadelos ou fantasias.
XAVIER, F. C. Caminho, Verdade e Vida. Pelo Espírito Emmanuel. Rio de Janeiro: FEB. Cópia do capítulo 87.

Nenhum comentário: