02 junho 2020

Via-Crúcis

Via-Crúcis, também conhecida por Via-Sacra, Via Dolorosa, na tradição cristã, representa o trajeto que Jesus seguiu em Jerusalém, carregando a cruz, desde o pretório ou tribunal de Pilatos até o Calvário. Há, porém, uma pequena diferença, ou seja, a Via-Crúcis e a Via Dolorosa dizem respeito ao caminho percorrido por Cristo; a Via-Sacra, ao exercício de piedade que consiste na meditação sobre cada um desses episódios.

O sentido figurado da Via Dolorosa: conjunto das orações que se dizem diante desses quadros; sacrifício; padecimento. Não se sabe a data original dessa devoção, mas houve grande incremento na época das Cruzadas, quando os fiéis regressavam de Jerusalém.

Os quadros (estações ou passos) surgiram paulatinamente e representam as cenas da Paixão de Cristo a serem meditadas pelos Seus seguidores e devotos:

Estação 1: Jesus é condenado à morte;
Estação 2: Jesus carrega a cruz às costas;
Estação 3: Jesus cai pela primeira vez;
Estação 4: Jesus encontra a Sua Mãe;
Estação 5: Simão de Cirene ajuda Jesus;
Estação 6: Verônica limpa a face de Jesus;
Estação 7: Jesus cai pela segunda vez;
Estação 8: Jesus encontra as mulheres de Jerusalém;
Estação 9: Jesus cai pela terceira vez;
Estação 10: Jesus é despojado de Suas vestes;
Estação 11: Jesus é pregado na cruz;
Estação 12 : Jesus morre na cruz;
Estação 13: Jesus é descido da cruz;
Estação 14: Jesus é sepultado.

Estacões ou passos, que assim se foram divulgando, não tinham número fixo. Foi somente no século XVIII que a Igreja fixou em 14 o número de estações e definiu o seu objeto a partir das narrações evangélicas e de alguns episódios apócrifos mais do gosto popular, como o encontro com a Verônica.

Bibliografia Consultada

DICIONÁRIO ENCICLOPÉDICO ILUSTRADO VEJA LAROUSSE. São Paulo: Abril, 2006.
ENCICLOPÉDIA LUSO-BRASILEIRA DE CULTURA. Lisboa: Verbo, [s. d. p.]
GRANDE ENCICLOPÉDIA PORTUGUESA E BRASILEIRA. Lisboa/Rio de Janeiro: Editorial Enciclopédia, [s.d. p.].

Nenhum comentário: