16 dezembro 2014

Eugenia

Eugenia - do grego genos (nascimento) e do prefixo eu (bem) refere-se a tudo o que é "bem nascido". Eugenismo e eugênico provêm desta etimologia. Eugenia é a parte da genética que tem por objetivo estudar as condições mais favoráveis à reprodução humana, para a melhoria das condições de saúde dos indivíduos e das populações. O eugenismo, considerado muitas vezes como sinônimo de eugenia, exerce mais a função de um sistema, sem ter a devida conta com a ética e a moralidade. 

A eugenia é uma ciência que busca a melhoria da "raça" humana. Quando trata de plantas e animais não sofre represália. Em se tratando do ser humano, há que ponderar sobre os aspectos jurídicos, éticos, morais e religiosos. A melhoria é um fim nobre, mas há os inconvenientes: Observe a atuação de Hitler que buscava a raça pura e, para isso, cometeu o genocídio, matando muitos e muitos Judeus nos campos de concentração.


Desde a Antiguidade, a eugenia e o eugenismo estavam presentes no pensamento e na ação dos homens, principalmente com a finalidade de eliminar os filhos menos aptos e os não desejados. A eugenia em si é boa, mas os meios ilícitos atrapalharam o seu desenvolvimento. É só observar a incidência do eugenismo em alguns países como, por exemplo, os Estados Unidos, a Alemanha e os países escandinavos. O caso mais extremo foi o eugenismo, na Alemanha de Hitler, que levou ao racismo nazista desde 1933 até o final da II Grande Guerra (1945). 


Hoje, fala-se pouco da eugenia, justamente por causa dos reflexos negativos da aberração de Hitler. A doutrina da eugenia não mudou; o que mudou foi o nome que empregam. Em vez de usar o substantivo "eugenia", substituíram-no pelo adjetivo "eugenismo". Eis como se reportam ao tema: aborto eugênico, esterilização eugênica, contracepção eugênica, eutanásia eugênica etc.


O Cristianismo manifestou objeções de ordem moral e religiosa contra o eugenismo. Não se aceita que para a melhoria da raça humana se sacrifiquem os direitos elementares de ser humano. Isso porque o ser humano, antes de ser homem material, pertence a uma dimensão espiritual. Não é um animal como outro qualquer. "É um ser criado por Deus para um diálogo de caridade com os outros homens e um diálogo salvador com Deus. É, no fundo, o que queremos dizer ao afirmar que o homem tem uma alma imortal".

Em se tratando do Espiritismo, que é o Cristianismo redivivo, introduzamos a tese da reencarnação. Sem essa perspectiva, não temos condições de entender o todo do ser humano. É pela reencarnação - lei de ação e reação ou causa e efeito - que podemos ressarcir os nossos erros do passado. Doença, dor, sofrimento e corpo mal formado são situações que o Espírito precisa passar para atingir o nível de evolução requerido. O Espírito doente num corpo são não seria a oportunidade ideal para tal finalidade.  

Reconheçamos o esforço da ciência para propiciar os "bem nascidos", mas não percamos de vista que a vida vai além de um simples corpo perfeito. Para habitar um corpo perfeito, aperfeiçoemos primeiramente a alma que nele irá habitar. 

Fonte de Consulta


POLIS - ENCICLOPÉDIA VERBO DA SOCIEDADE E DO ESTADO. São Paulo: Verbo, 1986.


Nenhum comentário: