27 março 2015

Socialismo e Espiritismo

Socialismo é a concepção política e econômica, de fundo ideológico, em que o bem geral prevalece sobre o interesse pessoal. Fundamenta-se na oposição ao individualismo e ao liberalismo econômico (capitalismo) por sua recusa da propriedade privada dos meios de produção e da livre concorrência. O socialismo era empregado anteriormente, mas como doutrina política e econômica surgiu na década de 1830, quando o termo entrou em uso corrente.

Na Europa continental, o marxismo era o alicerce intelectual do Socialismo, pois combinava uma teoria que explicava o desenvolvimento do capitalismo moderno, a divisão da sociedade em duas classes principais e a concepção de uma doutrina sociopolítica a respeito da organização, objetivos e táticas dos partidos socialistas.

O marxismo, tal como foi elaborado por Marx e Engels, é uma concepção dialético-materialista da natureza e da história, portadora de um projeto ético-político de transformação da sociedade dos tempos modernos. O marxismo é uma teoria filosófica, uma doutrina econômica, uma teoria da revolução e uma política multiforme seguido pelos regimes marxistas.

Comparando o Socialismo com o Espiritismo, temos:

1) Para o marxismo, o socialismo será implantado pela luta de classes; para o Espiritismo, o socialismo será implantado pelas classes de luta.

2) Para o marxismo, a felicidade do indivíduo estaria presa aos proventos materiais do trabalho (salários); para o Espiritismo, a felicidade do indivíduo iria além dos proventos materiais do trabalho (salários), pois implica evolução espiritual. São os "bônus-hora" de que nos fala o Espírito André Luiz, no livro Nosso Lar.

3) Para o marxismo, que é uma doutrina existencialista, o que temos é o niilismo, portanto sem vinculação palingenésica com o processo histórico; para o Espiritismo, que também é existencialista, tem como princípio a pluralidade e individualidade da alma após o desencarne. Há uma vinculação com o processo histórico. Ontem estivemos encarnados, hoje estamos e amanhã poderemos voltar.

4) A desigualdade verificada entre as classes sociais, no usufruto dos bens terrenos, perdurará nas épocas do porvir? Para o Espírito Emmanuel, na questão 55 de O Consolador, a pobreza, a guerra e a ignorância são enfermidades do organismo social, devido à situação de prova da quase generalidade dos seus membros. Cessada a causa, a moléstia coletiva estará eliminada.

5) Pode admitir-se, em Sociologia, o conceito de igualdade absoluta? É um erro grave. O que existe é uma igualdade absoluta de oportunidade ao crescimento material, moral, intelectual e espiritual de cada ser vivente.

Fonte de Consulta

DUROZOI, G. e ROUSSEL, A. Dicionário de Filosofia. Tradução de Marina Appenzeller. Campinas, SP: Papirus, 1993.

OUTHWAITE. W. e BOTTOMORE, T. Dicionário do Pensamento Social do Século XX. Rio de Janeiro, Zahar, 1996.

Há uma frase, atribuída a Churchill, mas cujo autor verdadeiro é desconhecido, que diz, em uma de suas variáveis: “aquele que não é socialista quando jovem não tem coração e aquele que continua socialista ao se tornar adulto não tem cérebro”.




Nenhum comentário: