08 agosto 2019

Guerra na Visão Espírita

Guerra. Refere-se à luta armada entre duas ou mais nações ou bandos. Implica o rompimento de um estado de paz. Etimologicamente, procede do germânico werra, que se transformou em war (inglês). Inicialmente, não representava um conflito sangrento, mas algo na linha da discordância, que podia nascer de uma discussão verbal e chegar, no máximo, a um duelo.

Há diversos tipos de guerras. Guerra preventiva (nação declara guerra antes que outra ataque), guerra civil (dentro do próprio país), guerra santa (motivos religiosos), guerra suja (ações fora do quadro legal ou declarado). Há, também, o sentido moral e psicológico como alusão ao combate ou oposição.

As guerras não acontecem por acaso; elas são frutos do livre-arbítrio das pessoas racionais. Nesse caso, elas podem ser justas ou injustas. Para que uma guerra seja justa, há algumas condições: 1) Que haja um direito líquido e certo, injustamente desrespeitado; 2) ocorrer somente depois de esgotados todos os esforços de acordo; 3) equivalência moral entre o bem que se espera, a reparação do direito do ofendido, e os males inerentes ao desencadear da violência.

Idígoras, em seu Vocabulário Teológico para a América Latina, diz que na Bíblia, há mandamentos divinos que conclamam a luta contra os adversários. Daí, percebemos que se trata de um profundo problema humano. Em outras palavras, para defender ou ampliar posses, os indivíduos entram em litígio. Quando as articulações não conseguem o seu fim, a luta se torna inevitável. Em certos casos, a guerra é certamente moral, quando se trata de defender os direitos atingidos ou impedir que os opressores explorem os mais fracos ou pacíficos. Assim, "não é a guerra que se apresenta como injusta, mas sim a sua utilização para causas ou objetivos de opressão".

Em O Livro dos Espíritos, Allan Kardec trata da guerra.

Pergunta 742 - Qual a causa que leva o homem à guerra?
Predominância da natureza animal sobre a espiritual e a satisfação  das paixões.

Pergunta 743 - A guerra desaparecerá um dia da face da Terra?
Sim, quando os homens compreenderem a justiça e praticarem a lei de Deus. Então todos os povos serão irmãos.

Pergunta 744 - Qual o objetivo da Providência ao tornar a guerra necessária?
A liberdade e o progresso.

Pergunta 744 a - Se a guerra deve ter como efeito conduzir à liberdade, como se explica que ela tenha geralmente por fim e por resultado a escravização?
Escravização momentânea para sovar os povos, a fim de fazê-los  andar mais depressa.

Pergunta 745 - Que pensar daquele que suscita a guerra em seu proveito? (p. 745)
Esse é o verdadeiro culpado e necessitará de muitas existências para expiar todos os assassínios de que foi causa, porque responderá por cada homem cuja morte tenha causado para satisfazer a sua ambição.

Nenhum comentário: