10 junho 2009

Bem-Aventurança

Bem-Aventurança – Grande felicidade, suprema ventura, especialmente a que se goza no céu. Para a teologia, são as oito bênçãos (beatitudes) com cuja exposição deu Cristo princípio ao Sermão da Montanha. A Bem-Aventurança é uma declaração de bênção com base em uma virtude ou na boa sorte. A fórmula se inicia com "bem-aventurado aquele..." Com Jesus toma a forma de um paradoxo: a bem-aventurança não é proclamada em virtude de uma boa sorte, mas exatamente em virtude de uma má sorte: pobreza, fome, dor, perseguição. As bem-aventuranças constituem uma mensagem divina aos homens de todas as raças e de todas as épocas, destinada a servir-lhes de roteiro, rumo à perfeição.

Na antiga Grécia, os deuses gregos eram, eles próprios, bem-aventurados. No Velho Testamento, Iavé transfere a sua bênção ao seu povo. Há uma sintonia entre a felicidade terrestre (cheia de bens materiais) e a bem-aventurança celeste. No Novo Testamento, Jesus é, ao mesmo tempo, o ideal e a realização das bem-aventuranças. Jesus não é simplesmente um sábio, mas aquele que vive plenamente o que propõe. No Velho Testamento, exaltam-se os valores terrestres da riqueza; no Novo Testamento, os da pobreza.

As oito bem-aventuranças são o gonzo (dobradiça) pela qual toda a vida cristã deve girar. Gandhi, ao ser indagado sobre o Evangelho de Jesus, diz: "Se tudo o mais do Evangelho for perdido e ficar somente as bem-aventuranças, o cristão em nada ficará prejudicado, pois nestas oito regras estão todos os fundamentos para uma mudança comportamental eficaz".

1ª) Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus.
2ª) Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.
3ª) Bem-aventurados aqueles que são brandos e pacíficos, porque herdarão a Terra.
4ª) bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.
5ª) Bem-aventurados aqueles que são misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.
6ª) Bem-aventurados aqueles que têm puro o coração, porque verão a Deus.
7ª) bem-aventurados os que sofrem perseguição pela justiça, porque o reino dos céus é para eles.
8ª) Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem e vos perseguirem e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós. (Mateus, 5, 1 a 12)

O prêmio prometido por Jesus àquele que obedece às oito regras é o Reino dos Céus. O Reino dos Céus ou Reino de Deus é um estado de felicidade proporcional ao grau de perfeição adquirido. É a imensidade da virtude. É o estado de sublimação da alma em virtude de sua obediência às Leis Naturais. O Reino dos Céus, porém, não é deste mundo. Quer dizer, ele não será encontrado na satisfação de nossos desejos materiais, no nosso gozo terreno. Ele está em nosso interior, em nosso mundo íntimo.

Bibliografia Consultada

EQUIPE DA FEB. O Espiritismo de A a Z. Rio de Janeiro: FEB, 1995.
GRANDE ENCICLOPÉDIA PORTUGUESA E BRASILEIRA. Lisboa/Rio de Janeiro: Editorial Enciclopédia, [s.d. p.]
MACKENZIE, J. L. (S. J.). Dicionário Bíblico. São Paulo: Paulinas, 1984.
XAVIER, F. C. Pão Nosso, pelo Espírito Emmanuel. 5. ed. Rio de Janeiro: FEB, 1977




Mais textos em PowerPoint: http://www.sergiobiagigregorio.com.br/powerpoint/powerpoint.htm



Nenhum comentário: