19 novembro 2019

Física Quântica

"Uma nova verdade científica não triunfa convencendo seus oponentes e fazendo-lhes enxergar a luz, e sim porque... uma nova geração cresce familiarizada com ela." (Max Planck)

Energia. Para os gregos, energia significa atividade. Pode mudar de forma, mas nunca é criada nem destruída. Ela é conservada: o total de energia no Universo continua sempre o mesmo. Física. Do grego "physis", natureza. É a ciência que estuda os fenômenos naturais suscetíveis de observação e experimentação. Liga todas as outras ciências. Seu objetivo é explicar a natureza do Universo (do subatômico às galáxias). Quanta. No início do século XX, quando os físicos estavam começando a dissecar o átomo e a entender a natureza da luz, Max Planck cunhou o termo "quanta" para documentar que a energia flui em pequenos pacotes e não como um contínuo. Física quântica. É um ramo de conhecimento que tem por objeto o estudo dos fenômenos que acontecem com as partículas atômicas e subatômicas.

Para entendermos este assunto, devemos nos reportar, primeiramente, à mecânica clássica de Newton. Newton estava preocupado com as forças da gravidade, os movimentos orbitais dos planetas ao redor do Sol, o funcionamento da galáxia etc. Sua escala de observação era macroscópica. Outros cientistas, porém, queriam penetrar no íntimo da matéria, no átomo, no microscópio, no mundo dos pequenos, e a física deste estudo denominou-se física quântica.

A principal dificuldade no estudo dos fenômenos subatômicos é que eles não possuem a regularidade de um relógio. A luz, por exemplo, comporta-se ora como onda ora como uma rajada de balas. Nesse caso, a física quântica é considerada uma "falsa teoria". Razão: a física quântica, ao contrário da clássica, é classificada como "não intuitiva", ou seja, determinadas coisas podem ser verdadeiras mesmo quando não aparentam ser.

John Polkinghorne, em seu livro Teoria Quântica, esclarece-nos que a teoria quântica não é um "vale tudo". Compará-la com as coisas do espírito (como exemplo, a telepatia) não é recomendável. "A dualidade onda-partícula é um fenômeno bastante surpreendente e instrutivo, cujo caráter aparentemente paradoxal foi solucionado para nós por meio das observações da teoria quântica de campos. Porém, ela não nos concede uma licença para ceder ao desejo de adotar qualquer par de noções de aparência contraditória que nos vier à imaginação. Como uma droga potente, a teoria quântica é maravilhosa quando aplicada de modo correto, mas desastrosa quando abusada e mal-aplicada" (página 109).

Ao explicar a relação entre física quântica e Espiritismo, Alexandre Fontes da Fonseca, professor de física no Departamento de Física da Faculdade de Ciências da UNESP, em Bauru, diz que são teorias distintas: a física quântica é uma teoria da matéria; o espiritismo é a ciência do espírito. Acrescenta que, pelo fato de a física quântica estudar os fenômenos que estão fora do senso-comum isso não nos dá credencial para aplicá-la aos fenômenos espíritas (considerados fora do senso-comum).


Nenhum comentário: