17 novembro 2019

Parábola das Dez Virgens

"A virgindade é bela não por caracterizar um jejum, mas por caracterizar uma prudência, uma vez que evita as artimanhas da natureza.” (Arthur Schopenhauer)

Parábola. História que se conta tendo como pano de fundo um ensinamento moral. Virgem. Mulher que se conserva em continência, que não teve cópula carnal; donzela. Pessoas isentas de corrupção no mundo.

Resumo da "Parábola das Virgens Prudentes e das Néscias". É a história de cinco virgens prudentes e cinco virgens néscias, todas à procura de um noivo. Caso este demorasse, haveria necessidade de azeite extra para a candeia. As prudentes levaram-no em suas bolsas; as néscias, não. (Mateus, 25, 1 a 13) Há muitas interpretações desta parábola, mas a maioria dos teólogos afirma que o Noivo é Cristo.

Esta parábola está inserida na última parte do capítulo 24, em que Jesus alerta sobre a separação entre os bons e os maus. No capítulo 25, esta separação é detalhada na Parábola das Dez Virgens (Mt. 25, 1-13), Parábola dos Talentos (Mt. 25, 14-30 e a Parábola da Separação das Ovelhas e dos Bodes (Mt. 25, 31-46)

Em sua prédicas, Jesus chamava a atenção para o Reino de Deus, reino este que não é deste mundo. Nesta parábola, o azeite pode ser comparado à provisão de conhecimento. Por que a porta se fecha aos néscios? A porta se fecha porque a fé dessas pessoas não tem conhecimento, não tem luz para ir além. Retrata as pessoas que se dizem retas, honestas, espiritualizadas, mas no fundo são contrárias daquilo que pregam. Podemos compará-las aos falsos Cristos e aos falsos profetas.

Observações sobre as virgens prudentes e as néscias: 1) as ordenações da prudência são:  precaução, estudo, pesquisa, reflexão, aprendizado da verdade; 2) quanto à virgindade: virgindade se refere à religiosidade. Há diferença entre ter religião e ser religioso. Ter religião não salva ninguém. Há necessidade de obras para entrar no Reino de Deus; 3) algumas virgens foram barradas à porta do Reino: a virgindade é uma condição necessária, mas não suficiente para entrar no Reino dos Céus. A virgindade deve estar ligada ao conhecimento que nos foi dado por Jesus Cristo.

Relacionemos esta parábola à vigilância. Devemos estar sempre atentos na busca da verdade, pois não sabemos o momento de nossa partida ao mundo dos Espíritos. É importante que, quando formos chamados, tenhamos cumprido os nossos deveres, não tenhamos perdido tempo em coisas supérfluas e que tenhamos principalmente a consciência tranquila.


Nenhum comentário: