29 junho 2008

Atitude e Comportamento

Atitude - Do latim aptitudinem significa uma maneira organizada e coerente de pensar, sentir e reagir em relação a pessoas, grupos, questões e acontecimentos ocorridos em nosso meio circundante. Comportamento. Porto, em latim, significa levar. Em português passou a forma reflexiva: portar-se. O prefixo "com" denota um modo global de levar-se, portar-se. É o conjunto organizado das operações selecionadas em função das informações recebidas do ambiente através das quais o indivíduo integra as suas tendências.

A Percepção é uma atividade do espírito que organiza os dados sensoriais pelo qual conhecemos a "presença atual de um objeto exterior". Ao captarmos os dados, enfrentamos um grande problema, ou seja, a distorção perceptiva: vemos as pessoas de uma forma bem diferente das que elas são, ou daquela como estas nos são objetivamente apresentadas. A estereotipagem (uso da impressão padronizada do grupo para influenciar a percepção de um indivíduo), o efeito halo (deixar que uma característica do grupo encubra todas as demais características) e as expectativas ("ver" e "ouvir" o que se espera ver e ouvir e não o que realmente está acontecendo) são as distorções mais freqüentes.

Num estudo mais detalhado das atitudes, podemos dizer que elas possuem três componentes básicos: componente cognitivo, que são os nossos pensamentos e crenças; componente afetivo, que são os nossos sentimentos e emoções; componente comportamental, que são as nossa tendências para reagir. De acordo com a Psicologia Social, somente quando esses três componentes se encontrarem perfeitamente inter-relacionados é que poderemos afirmar que uma atitude foi realmente formada.

Uma atitude pode ser formada: a) pelos resultados de nossa própria experiência; b) pelas nossas tendências e preconceitos perceptivos; c) pelas nossas observações das reações de outras pessoas. A teoria dos reflexos condicionados de Pavlov fornece-nos subsídios valiosos para a compreensão das atitudes e comportamentos dos indivíduos. Contudo, os estudos do Espírito André Luiz sobre a herança e o automatismo, adquiridos ao longo das várias encarnações, têm uma explicação mais convincente, pois, ao nos remeter às outras vidas, fala-nos também de todas as informações registradas no nosso subconsciente.

Por que é difícil mudar atitudes e comportamentos? 1) Como a atitude é uma intenção e o comportamento uma ação, nem sempre os dois coincidem; 2) embora as tentativas de modificar "atitudes" assentem nos mesmos princípios de aprendizagem, é evidentemente muito mais difícil mudar ou esquecer "atitudes" do que aprendê-las; 3) ao buscarmos uma sensação de equilíbrio entre nossas crenças, fazemos uso da dissonância cognitiva, ou seja, reduzimos os nossos conflitos internos e não enfrentamos o problema como realmente deveria ser enfrentado.

Apesar de todos os empecilhos à mudança comportamental, os Espíritos superiores exortam-nos constantemente à prece, à leitura de mensagens e à reformulação do nosso modo de pensar, fatores essenciais para a manutenção de nossa fortaleza moral.

Fonte de Consulta

BOWDITCH, J. L. e BUONO, A. F. Elementos de Comportamento Organizacional. São Paulo, Pioneira, 1992.
KARDEC. A. A Obsessão. 3. Ed., São Paulo, O Clarim, 1978.

Apresentação em PowerPoint




Nenhum comentário: