02 julho 2008

Fraternidade

Fraternidade - do latim fraternitate significa "irmandade" ou "conjunto de irmãos". Palavra usada inicialmente na Idade Média para a designação de inúmeras associações de caráter mais ou menos esotérico e fundo religioso. Isenta da noção religiosa, os espíritos nunca foram além da idéia de solidariedade social.

Na Antiguidade merecem especial referência o Confucionismo e o Estoicismo: Sêneca dizia que "A natureza fez de nós uma família" e Marco Aurélio que "O universo é como uma cidade". Os ideais da Revolução Francesa -Liberdade, Igualdade e Fraternidade- nada mais são do que a laicização de uma ideia-força tipicamente cristã. Na sua pessoa, doutrina e ação, Jesus Cristo veio revelar e tornar possível a fraternidade num grau insustentável: nele foi dado a conhecer aos homens serem eles chamados a uma verdadeira e sublime fraternidade, a de filhos do mesmo Pai celeste.

A irmandade entre as pessoas é um fato concreto nas vivências religiosas. Ocorre que, diante da realidade, muitas vezes trágica, sempre surge a questão: os homens são lobos ou irmãos em seus relacionamentos? A base do pensamento individualista moderno é constituído pela concepção de que o homem é lobo do homem. Nesse sentido, a vida é regida pela competição em que os mais aptos devem triunfar. Assim sendo, a irmandade fica reduzida a um pequeno grupo de amigos íntimos, unido por laços de famílias ou interesses comuns.

O pensamento marxista desenvolve-se nessa mesma linha com a diferença de que já não fala dos indivíduos na luta pelos bens sociais, mas sim de classes sociais. Neste caso, uma classe social fica sendo o lobo da outra classe social. Por isso, a luta entre o proletariado e o capitalista. Falar de uma fraternidade que transcende a própria classe constitui uma traição, pois enfraquece o potencial de luta e adia a vitória necessária e definitiva do proletariado. A conseqüência é a inimizade e o ódio entre as pessoas.

O Espiritismo é uma doutrina fraterna por excelência, pois não só desenvolve os ideais cristãos como também torna-os universais. Elucida-nos que todos somos originários de um mesmo Pai, portanto irmãos em espírito. Nas suas entrelinhas, observamos que a força do homem está na mudança comportamental que puder realizar, ou seja, enaltecer o amor, a caridade e o auxílio mútuo. Incentiva-nos a colocar em prática a noção de caridade posta por Jesus na Parábola do Bom Samaritano, porque faz-nos tratar todos os homens como irmãos independentemente de classe, religião, nacionalidade ou raça.

A verdadeira fraternidade deve emergir do próprio homem. Povoemos, assim, o nosso cérebro de pensamentos elevados e teremos como conseqüência ações de caráter humanitário e social.

Fonte de Consulta

IDÍGORAS, J. L., Padre, S. j. Vocabulário Teológico para a América Latina. São Paulo, Edições Paulinas, 1983. 

São Paulo, 25/07/1997


Nenhum comentário: