02 julho 2008

Ressurreição e Reencarnação

Ressurreição – do lat. ressurrectione – significa ato ou efeito de ressurgir, ressuscitar. Segundo o Catolicismo e o Protestantismo, retorno à vida num mesmo corpo. Reencarnação (de re + encarnação) representa a volta do Espírito à vida corpórea, mas num outro corpo, sem qualquer espécie de ligação com o antigo.

João Batista e Nicodemos são as personagens centrais do debate em torno da ressurreição e da reencarnação. Quanto a João Batista, os doutores da lei confundiam-no com a ressurreição de Elias. Em realidade, João Batista foi a reencarnação de Elias. Quanto a Nicodemos, retratemos o seu diálogo com Jesus. Nicodemos, Senador dos Judeus, pede instruções ao Mestre. Este lhe responde: Em verdade, em verdade vos digo: Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo. Ao que Nicodemos disse: Como pode nascer um homem que já está velho? Pode ele entrar no ventre de sua mãe, para nascer uma segunda vez?

A confusão entre o conceito de ressurreição e o de reencarnação é porque os judeus tinham noções vagas e incompletas sobre a alma e sua ligação com o corpo. Por isso, a reencarnação fazia parte dos dogmas judaicos sob o nome de ressurreição. Eles acreditavam que um homem que viveu podia reviver, sem se inteirarem com precisão da maneira pela qual o fato podia ocorrer. Eles designavam por ressurreição o que o Espiritismo, mais judiciosamente chama reencarnação.

A ressurreição segundo a ideia vulgar é rejeitada pela Ciência. Se os despojos do corpo humano permanecessem homogêneos, embora dispersados e reduzidos a pó, ainda se conceberia a sua reunião em determinado tempo; mas as coisas não se passam assim, uma vez que os elementos desses corpos já estão dispersos e consumidos. Não se pode, portanto, racionalmente admitir a ressurreição, senão como figura simbolizando o fenômeno da reencarnação.

O princípio da reencarnação funda-se, a seu turno, sobre a justiça divina e a revelação. Dessa forma, a lei de reencarnação elucida todas as anomalias e faz-nos compreender que Deus deixa sempre uma porta aberta ao arrependimento. E para isso, Deus, na sua infinita bondade, permite-nos encarnar tantas vezes quantas forem necessárias ao nosso aperfeiçoamento espiritual, utilizando-se deste e de outros orbes disseminados no espaço.

Desfaçamos a confusão entre ressurreição e reencarnação. A reencarnação nada mais é do que a "ressurreição" do Espírito, porém em um corpo diferente do antigo.

São Paulo, 30/06/1996.

Nenhum comentário: