02 julho 2008

Espírita e Espiritualista

"TODO ESPÍRITA É ESPIRITUALISTA, MAS NEM TODO ESPIRITUALISTA É ESPÍRITA" 

Muitos espíritas, por estarem constantemente discutindo os princípios doutrinários do Espiritismo, acabam enfatizando o sentido pejorativo da palavra Espiritualismo. Questionados sobre a abrangência de cada termo, respondem que o Espiritismo é mais amplo do que o Espiritualismo. É sobre isso que gostaríamos de lançar alguma luz.

O que significa a palavra Espírita? Espírita é adepto do Espiritismo. E o Espiritismo? O Espiritismo é uma doutrina que se funda na crença de existência de Espíritos e nas suas manifestações. O que é uma doutrina? Doutrina é um conjunto de princípios que serve de base a um sistema filosófico, político, religioso etc. O que entende por princípios? Proposições diretoras de uma ciência, às quais todo o desenvolvimento posterior dessa ciência deve estar submetido. Quais são os princípios fundamentais do Espiritismo? Existência de Deus, reencarnação, lei de causa e efeito, lei de evolução, pluralidade dos mundos habitáveis etc.

O que significa a palavra Espiritualista? Espiritualista é adepto do Espiritualismo. E o Espiritualismo? Para darmos uma resposta convincente, devemos separar o sentido restrito do geral. Genericamente, o Espiritualismo é uma doutrina segundo a qual o espírito ou alma constitui realidade substancial distinta da matéria e do corpo. Especificamente, representa as teorias imanentes de cada crença, religião ou seita, que procuram explicar a relação entre o espírito e a matéria. Quando não atentamos para essas distinções, caímos no erro da absolutização do relativo. Vejamos, a seguir, as diferentes concepções que o Espiritualismo assume.

Para o Moderno Espiritualismo, criado a partir do fenômeno de Hydesville, em 31 de março de 1848, nos Estados Unidos, o Espiritualismo é o estudo dos fenômenos de efeitos inteligentes (comunicação com os mortos), dos fenômenos de efeitos físicos (levitação, materialização, transporte etc.) e dos fenômenos anímicos (telepatia, clarividência, clariaudiência); Para o Esoterismo, o Espiritualismo é o ensinamento reservado a número restrito de iniciados; para os Rosacruzes, é a compreensão do Infinito imanifesto, dos sete planos da consciência e dos diversos simbolismos e aforismos. Poderíamos estender esta explicação para o Budismo, o Catolicismo, o Protestantismo, a Umbanda, o Candomblé etc.

O Espiritismo, mesmo sendo uma filosofia espiritualista, distingue-se, pelos seus princípios doutrinários, de todas as correntes espiritualistas acima. Os orientais, por exemplo, crêem na reencarnação; o Espiritismo, também. Contudo, o enfoque espírita, baseado na análise científica, difere fundamentalmente da interpretação deles. O Moderno Espiritualismo aceita a comunicação com os mortos, mas não crê na reencarnação. O Católico e o Protestante não aceitam a reencarnação. A Umbanda e o Candomblé tem rituais, altares, pontos cantados; o Espiritismo não os têm.

Na sua generalidade, fazemos parte o Espiritualismo; especificamente, temos um corpo de doutrina, ditada pelos Espíritos superiores, que nos fazem interpretar de maneira distinta os mesmos fatos.

São Paulo, 12/03/2004.

Nenhum comentário: